Tamanho do texto

Colunista do Delas esclarece as sensações mais comuns durante o orgasmo e desmistifica comportamentos ditos como indicadores de que a mulher chegou ao clímax

"Tenho uma dúvida há um bom tempo: o que é o orgasmo? Já li que pode ser psicológico. A sensação que tenho é a de que me desligo da situação como se eu não estivesse mais ali. Minhas pernas tremem sem parar, mas não sinto minha respiração acelerar. Não lembro de puxar os cabelos do meu namorado ou de arranhar suas costas. Isso é ter um orgasmo?"

Definições publicadas pela mídia ou descritas em algumas literaturas por vezes passam uma ideia glamourosa e distorcida sobre o orgasmo. Muitas mulheres buscam sentir as mesmas reações e sensações descritas, porém diante das diferenças as dúvidas aparecem.

A sexóloga e colunista Fátima Protti tira dúvidas das leitoras
Edu Cesar/Fotoarena
A sexóloga e colunista Fátima Protti tira dúvidas das leitoras

As diferenças existem porque as sensações e reações são próprias de cada mulher e de cada transa. A história sexual, os sentimentos, o ambiente, a parceria sexual, seu humor, condição orgânica e os estímulos determinam a intensidade, a presença ou a ausência do orgasmo.

A resposta sexual tem início no cérebro a partir do desejo, através da estimulação dos órgãos sensoriais e das fantasias. Isso leva a um aumento crescente da excitação e uma lubrificação vaginal.

Durante o orgasmo ocorrem contrações musculares da vagina e ânus, aumento dos batimentos cardíacos, respiração mais acelerada, às vezes, intenso calor no corpo e rosto e sensação rápida de estar fora do ar. Ao final, há um enorme relaxamento e uma intensa sensação de prazer em todo o corpo. Somente 10% das mulheres ejaculam um líquido pela vagina durante o orgasmo, semelhante ao da ejaculação masculina, mas isso não mostra diferenças no prazer sexual.

O orgasmo pode ser clitoriano ou vaginal, porém o prazer pode ser intenso independente de onde venha, o que define são os fatores acima expostos.

Quanto aos comportamentos durante o orgasmo, puxar o cabelo do namorado, gritar, arranhar ou atirar coisas são próprios de cada pessoa e, às vezes, do momento e da intensidade do prazer. Há pessoas que reprimem suas expressões de prazer e o orgasmo passa a ser silencioso.

Para ter um orgasmo é necessário que haja entrega total para viver o erotismo e as sensações. Muitas vezes, o orgasmo não acontece porque a mulher está preocupada com sua estética, com o julgamento e o prazer dele, em impressionar o homem com seu desempenho e deixa de vivenciar o sexo.

Cara leitora, você descreve algumas reações que indicam uma resposta orgástica. Tente se soltar mais durante a transa e você poderá experimentar orgasmos mais intensos.

_______________________________________________________________________

Fátima Protti é psicóloga, terapeuta sexual e de casal. Pós-graduada pela USP e autora do livro "Vaginismo, quem cala nem sempre consente". Escreva para a colunista:  delas_amoresexo@ig.com.br.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.