iG Delas

Colunistas

enhanced by Google
 

Mirna Zambrana

Construa e reforme com planejamento

Mirna Zambrana é formada em arquitetura e urbanismo pelo Mackenzie. Sócia de Aurélio Martinez Flores, tem vasta experiência em projetos residenciais e comerciais

A importância das portas

Escolher a porta certa ajuda a reduzir barulhos, definir espaços e garantir a segurança

08/12/2010 07:59

  • Mudar o tamanho da letra:
  • A+
  • A-

Foto: Divulgação

A porta é um recurso amplo de delimitação de espaços e alternância de usos dos ambientes

No projeto da moradia, a porta não deve ser vista apenas como fechamento dos cômodos mais óbvios, como quartos e banheiros. . É um elemento que fecha e abre uma passagem com facilidade, de acordo com o controle do usuário.

Sua composição clássica é:

- Batente - perfil fixado na abertura da alvenaria. É o local onde fixa, bate e para a folha. Tem a largura da parede ou medida padrão de 15 cm ou 25 cm.

- Folha - peça que gira, corre ou articula. É fixada no batente por dobradiças ou pivô. Quando é do tipo que corre, pode ficar fora da área do batente.

- Guarnição – sarrafo com acabamento que serve para esconder o encontro do batente com a parede.

- Ferragens – dobradiças ou pivôs que fazem a porta girar - ou ainda trilhos para portas de correr -, maçanetas e puxadores para a manipulação e fechadura para trancar.

A arquitetura moderna trouxe sua interpretação dos componentes da porta, muitas vezes utilizando batentes metálicos - bem mais finos do que os de madeira -, ou abrindo um rasgo do piso ao teto, na parede, mantendo a altura da porta padrão de 2,10 m e fazendo um fechamento acima disso (bandeira) com madeira ao invés de alvenaria.

Profissionais mais minimalistas estão mudando a configuração da porta, fazendo-a com batente invisível, sem guarnição e do piso ao teto, camuflando-a na parede. Na prática, implica num detalhamento sofisticado, peças especiais, primorosa execução e adaptação de ferragens.

Voltando ao convencional, hoje em dia, as obras dispensam o contra marco - peça de madeira que era chumbada na alvenaria para receber o batente -, e optam pela fixação química, com espuma expansiva de poliuretano. Existe um “kit-porta pronta”, que vem com todos os componentes e facilita a execução.

A folha lisa pode ser oca ou maciça. As primeiras são encabeçadas com madeira e sarrafos espaçados internamente, só devem ser usadas em áreas internas e não podem ser cortadas em qualquer ponto. Existe uma margem de 1,5 cm, nas extremidades, para cortes de ajustes. Já as portas maciças são completamente sarrafeadas internamente, o que é uma vantagem por ser mais resistente.

Existem as portas feitas de madeira maciça, que aguentam mais a chuva e o sol. Em geral, são confeccionadas de peças de madeira e formam algum desenho, como almofadas ou ripas paralelas (mexicana), entre outras. Como todo produto feito em madeira, deve ser muito bem seca em estufa e ter certificação da procedência.

As dimensões disponíveis no mercado são: 62 cm, 72 cm, 82cm ou 92 cm x 210 cm, com espessura de 35 mm. Há alguns anos, para dimensionar a abertura de uma porta, o critério ficava no status do ambiente e na necessidade de utilização: como cozinhas donde saem bandejas, entrada e saída de mobiliário etc. Hoje, com o conceito de inclusão inserido no dia a dia, o recomendável é que as passagens de uma casa tenham no mínimo 80 cm de largura, mesmo nos banheiros, para permitir o acesso de um cadeirante.

Quanto ao tipo de abertura, sempre que possível opte pela porta de girar (abrir). Este é o curso mais natural do movimento de passagem. Use a porta de correr quando essa for realmente a solução.

Uma questão importante a ser levantada é que muito da passagem do som de um cômodo para outro se dá pela porta. A pouca massa das portas ocas e as frestas favorecem o vazamento do barulho. Existem no mercado escovas de vedação que podem ser usadas para preencher o vão que fica no piso e um perfil de vedação para ser colocado no batente. Ambos auxiliam a minimizar esse problema.
 

 

 

 

Sobre o articulista

Mirna Zambrana - jbianchi@ig.com - Mirna Zambrana é formada em arquitetura e urbanismo pelo Mackenzie. Sócia de Aurélio Martinez Flores, tem vasta experiência em projetos residenciais e comerciais

» Mais textos deste articulista

    Notícias Relacionadas


    Ver de novo