Apesar de estar cercada de tabus, a estimulação anal pode ser prazerosa tanto para homens quanto para mulheres. Colunista do iG Delas, Heitor Werneck traz dicas a respeito dessa prática; confira algumas

Hoje é dia de falar sobre o... Sexo anal ! Objeto de controvérsia e adoração, o ânus já era reverenciado pelos antigos gregos. Inteligentes, sábios e filósofos, eles acreditavam que o anilingus – ou beijo anal – era mais higiênico que o beijo na boca. 

Leia também: Fetiche, sexo e prazer; é preciso ter mais verdade menos pose

Apesar de estar cercada de um tabu, a estimulação do ânus pode ser prazerosa tanto para o homem quanto para a mulher
Shutterstock
Apesar de estar cercada de um tabu, a estimulação do ânus pode ser prazerosa tanto para o homem quanto para a mulher

Também conhecida como beijo sombrio ou beijo grego, a estimulação anal é uma experiência sensual tanto para quem a dá quanto para quem recebe. Alguns dizem que não existe nada mais excitante que sentir a língua e os lábios macios e quentes de seu amante dando prazer em um lugar tão intimo; e aqueles que amam fazer isso dizem que a experiência é igualmente excitante. Anilingus pode produzir sensações únicas e eróticas, já que as dobras delicadas do ânus são cheias de terminações nervosas.

O Anilingus também pode ser uma ótima introdução para a penetração anal . Para homens e mulheres que gostam de ser penetrados, essa é uma preliminar deliciosa antes do prato principal; e, para homens que não têm uma posição definida sobre a penetração, o anilingus é uma forma de experimentar, confortavelmente, a sensação de estimulação anal.

Já que estamos falando em lamber o fiofó, vamos abordar uma grande dúvida de homens e mulheres por aí: meninas, se o seu homem tem sensações ao sentir você passando delicadamente sua língua deliciosa no ânus dele, vá mais longe... Isso não quer dizer que ele seja homo ou bissexual. E, se ele for, parabéns: graças a você, ele poderá sair do armário.

O estímulo da região é biologicamente previsível e, para muitos, trata-se de uma área vasta e prazerosa. Tanto meninos quanto meninas podem curtir. Para os meninos, a próstata é próxima ao canal do reto. Portanto, estimulando o reto, estimula-se a próstata e... Pimba! Gozamos maravilhosamente!

Não é todo homem, porém, que sente prazer em ser penetrado. Eu mesmo faço parte dessa infeliz e ínfima parcela da humanidade e morro de inveja das pessoas que podem exercitar a libertinagem com mais esse recurso. Confira algumas técnicas para fazer essa estimulação:

Técnicas

  • Com os lábios macios, beije diretamente;
  • Com a pontinha da sua língua, lamba suavemente fazendo movimentos circulares ao redor da abertura do ânus, circundando-o;
  • Lamba o sulco com a língua bem aberta, de cima a baixo, como se fosse um sorvete;
  • Pressione sua língua achatada contra a abertura e segure. Depois, suavemente, faça um movimento para cima e para baixo, e uma massagem de dentro para fora;
  • Anilingus envolve uma variedade de técnicas para estimular o ânus, incluindo beijos, lambidas e deslizes da língua para cima e para baixo. A prática do anilingus mútuo também pode ser feita na chamada posição 69. No caso de prática num homem, a forma de massagear intensamente também pode ser utilizada, pela proximidade à raiz do pênis, para estimular o seu fluxo sanguíneo e, consequentemente, a ereção;
  • Tocar a campainha: empurre sua língua contra o ânus, e então remova, como se estivesse tocando uma campainha.
  • Lamber: Use sua língua toda para lamber ao redor do ânus.

Leia também: Conheça a domme Hot Mahara e o fetiche da dominação

Então, já chegamos aqui: você lambeu, curtiu, introduziu – e vocês amaram fazer tudo isso! Parabéns, é bem provável que repitam muitas vezes estas e outras experiências. E você, homem hétero que adorou ter seu ânus estimulado, fique tranquilo: quase todo homem sente prazer assim.

O fato é que a enervação do orifício externo do ânus faz com que a estimulação táctil da área provoque importante excitação sexual. Trata-se, pois, de uma zona deliciosamente erógena. E mais: a penetração determina a estimulação da próstata que pode, por si, provocar a ejaculação.

É preciso pensar sobre isso de uma forma livre, de modo que a excitação não seja confundida com homoafetividade. Se for uma mulher a estimular a região anal, e se ela introduzir algum objeto no homem, o prazer será sentido de forma idêntica e não haverá outro homem envolvido (nem mesmo em imaginação). A excitação “pertence” a aquele homem e não depende de quem a provoca.

A estimulação anal pode até ser uma nova forma de intensificar e estimular o sexo dentro de casa, e não gerar tabus e conversas desnecessárias. É saudável, traz prazer e o mais legal é que, se for mesmo pecado, terá um perigoso gostinho de quero mais...

Mas sempre é importante que você, menino ou menina, faça o enema. Este é, por definição, a injeção de líquido no ânus para motivar a evacuação. Independente de qualquer questão sexual, enemas são ótimos para limpar seu cólon e fazem muito bem para a saúde.

Agora, tudo isso lido e recapitulado, mais uma boa notícia: o coito anal em mulheres é uma forma de evitar gravidez. Para os homens, trata-se de uma maneira a mais de sentir prazer; e, para os casais, é um delicioso estímulo. E agora, divirtam-se! Aproveitem seus orifícios em todos os sentidos!

Segurança

Atenção! Existem muitos problemas de saúde que podem resultar da prática de anilingus se as bactérias, vírus ou parasitas que os causam estiverem presentes no ânus ou no reto. Estes incluem hepatites A, B e C; infecções gastrintestinais; papilomavírus (HPV); gonorreia; Herpes; conjuntivite; e outras doenças sexualmente transmissíveis. Para se proteger, é possível usar uma camisinha de língua, ou até protegê-la com um filme de PVC.

A introdução dos órgãos genitais na boca imediatamente após ela ter contato com o ânus, pode inadvertidamente introduzir a bactéria Escherichia Coli (E. coli) na uretra, acarretando uma infecção urinária. Qualquer tipo de contato direto com fluidos corporais de uma pessoa infectada com HIV representa risco de infecção. De qualquer maneira, o risco de infecção por HIV durante a prática do sexo oral costuma ser considerado mais baixo do que em outras práticas sexuais. Para contrair qualquer uma destas doenças, um dos parceiros tem de ser portador do vírus. Quer saber mais sobre fetiches? Acompanhe a coluna do Heitor Werneck  no iG Delas!



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.