Tamanho do texto

De acordo com Cátia Damasceno, educadora sexual e colunista do iG Delas, dois cuidados podem melhorar a performance na cama de forma saudável

Catuaba, ovo de codorna, paçoca... Se essas são as sugestões que vêm à sua mente quando se fala em ter uma energia extra para melhorar o desempenho sexual, a educadora sexual e idealizadora do projeto “Mulheres Bem Resolvidas” Cátia Damasceno faz um alerta: não é bem assim que funciona.

Leia também: O que os filmes pornô podem ensinar sobre sexo? Especialista explica

Alterações na alimentação e na autoestima podem melhorar o desempenho sexual e apimentar as coisas na cama
Shutterstock
Alterações na alimentação e na autoestima podem melhorar o desempenho sexual e apimentar as coisas na cama

Certas substâncias presentes em alguns alimentos (como o zinco nas ostras, por exemplo) pode sim dar um “up” na libido, mas Cátia afirma que algumas mudanças comportamentais funcionam melhor nesse departamento, deixando a vida sexual mais apimentada; saiba quais são:

Espelho, espelho meu...

De acordo com Cátia, o primeiro fator da lista é a autoestima. “É uma verdade cruel, mas quem gosta de si mesma e se sente bem no próprio corpo vai dar um show muito mais completo e ter um desempenho melhor na cama”, explica a educadora. Por outro lado, melhorar a autoestima não é uma tarefa que pode ser cumprida da noite para o dia.

Descobrir quais são os visuais que mais te agradam, buscar exemplos positivos de pessoas com corpos parecidos com o seu e, em casos mais extremos, procurar auxílio psicológico podem ser formas de melhorar a autoestima. “O importante é se conhecer e entender o que te faz sentir bem e feliz, e se olhar no espelho com satisfação”, afirma Cátia, lembrando que essa atitude funciona da mesma forma para homens.

Leia também: Preguiça de fazer sexo? Entenda o que pode estar causando isso

Você é o que você come

A segunda mudança importante é a da alimentação. “Eu falo de mudar os hábitos e ter uma alimentação saudável, para que você consiga manter saudáveis os sistemas cardiocirculatório, endócrino, nervoso e imunológico, que são super importantes para que o sexo seja bom”, explica. Além disso, a especialista destaca a importância dos exercícios físicos para que o corpo esteja preparado para o agito de uma noite de sexo bem feito.

Fora a mudança geral de hábitos alimentares para garantir que a saúde esteja em dia, Cátia afirma que há alguns alimentos que podem sim dar uma ajudinha extra. “O mel e a melancia, por exemplo, aumentam a sensação de prazer”, conta Cátia.

Sexo é via de mão dupla

O ato sexual é baseado em troca e cumplicidade, portanto, dar prazer é tão importante quanto recebe-lo. “Para conseguir um desempenho bom, você precisa estar preocupada em dar prazer, e o parceiro precisa ter a mesma preocupação”, explica Cátia. Se um dos parceiros estiver focado apenas em si mesmo, o sexo nunca será bom. “É por isso que o sexo não é separado do relacionamento como um todo. Para que o desempenho na cama seja bom, é preciso que o casal esteja bem e vice versa”, finaliza. Quer ler mais dicas sobre sexo?  Acompanhe a coluna da Cátia Damasceno   no Delas!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.