Foco, disciplina e atenção aos detalhes. Esses e outros fatores são fundamentais no balé e também fazem parte de um bom líder

Todos sabem como o balé traz benefícios para a saúde e também disciplina, principalmente se começado muito cedo. No texto desta semana vamos falar um pouco de como essa modalidade de dança pode colaborar para que você seja um líder melhor.

Balé trabalha o corpo e a mente
Divulgação
Balé trabalha o corpo e a mente


Leia também: Conheça o ballet fly, modalidade de dança nas alturas

Para montar essa lista contamos com a colaboração do blog especializado em balé clássico Tutu4Love, da publicitária e bailarina Milena Pontes. Mas antes, uma curiosidade. Louis XVI (1638 - 1715), reinou na França por 72 anos e era um líder político e militar e também um bailarino. Foi com ele que essa modalidade virou profissão e também pela sua influencia que toda a nomenclatura dos passos é em francês, independente do lugar do mundo onde você faça aulas. Há evidências para se acreditar que alguns dos traços de Louis assimilados ao domínio da dança o ajudaram a se tornar um governante melhor. 

Com isso, veja como a modalidade pode te ajudar a liderar. Foram consultadas as publicações Hunffington Post, Artigos de Shellie Karabell, The guardian e Revista Forbes. 

Foco e Concentração 

Pirouettes (giros) e balance (equilíbrio) não acontecem por acaso, é preciso estabelecer um foco e não ter distrações para se manter ali, no total controle do corpo. Muitos comandos são enviados da mente para o corpo e é isso faz seguir firme, ainda que em movimento como giros. Uma mudança de olhar e você pode colocar tudo a perder.Tudo na dança exige muita concentração e foco, bailarinos realmente sabem como se manter firmes na direção de suas metas.    

Pensamento em 360 graus  

No balé aprendemos a pensar em muitas coisas ao mesmo tempo, e tudo com máxima graciosidade, sem transparecer o mínimo esforço. Mais do que estar atento a seu corpo, isso envolve uma boa noção de espaço, das atividades dos seus colegas e da música. Tudo ao mesmo tempo com técnica, emoção e delicadeza e ouvidos bem abertos.  A capacidade de aprender múltiplos comandos também vem da disciplina em saber o momento de calar e apenas ouvir as instruções.   

Postura perfeita

Bailarinos sempre buscam a perfeição
Divulgação
Bailarinos sempre buscam a perfeição

Postura de bailarino é sinônimo de máxima elegância. A dança muda a forma como você se apresenta, como o mundo enxerga você sem ser ostensivo ou excessivamente dramático. Basicamente, a postura e alinhamento que você busca irá torná-lo uma figura mais imponente, inclusive no caminhar e também a cada movimentação. 

 Boa convivência 

 Fazendo aulas regularmente e participando de espetáculos, é inevitável que você passe um tempo considerável com muitas pessoas diferentes. Mais da metade das nossas amigas mais queridas conhecemos na dança, e temos uma teoria sobre isso: o ambiente da sala de dança é onde muitas pessoas estão mais a vontade do que onde estiveram durante todo o dia e, possivelmente, por isso estão muito mais receptivas às amizades. As aulas muitas vezes vão te tirar da zona de conforto, despertando sentimentos que não estamos acostumados a demonstrar no dia a dia, e isso nos torna íntimos rapidamente. 

Leia também - Do circo aos maiores espetáculos de balé do mundo: conheça Thiago Soares

 Atenção aos detalhes

Por ser uma arte muito complexa, e que o tempo todo exalta o belo sob diferentes aspectos, exige de seus “pupilos” uma atenção extrema aos mínimos detalhes. Se estuda a amplitude de um movimento, o desenho da coreografia, a memorização, o respiro, onde pisar e com qual intensidade. Quando você dança, nenhum detalhe é ignorado. 

Finalizar cada projeto e não desperdiçar oportunidades

A boa execução de um passo também é medida em sua terminação. Não adianta saltar lindamente, metros fora do chão, mas ter uma terminação brusca, sem o devido plié. Outro exemplo é: nada pode fazer um bailarino parar no meio de uma execução, não importa se você se perdeu na música ou se seu figurino saiu do lugar. Bons bailarinos, assim como bons líderes, sabem como retomar o caminho e finalizar o que se propôs a fazer. Mesmo na aula, onde é permitido errar, não se permite desperdiçar nenhuma oportunidade. A entrada, a sua vez na diagonal, a introdução na barra, a tentativa de acordo com o que está sendo explicado naquele momento, cada segundo é a chance irreversível de fazer mais e melhor. 

 Agir sob pressão

Definitivamente nesta arte não existem atalhos, tudo é repetição. Todo bailarino tem em mente que quanto mais praticar, melhor será. E professores devem encorajar a prática com firmeza e otimismo. A resistência é reconhecida em líderes das mais diversas áreas, pois conhecem o calor de uma conquista após muitas horas de insistência e sabem manter o foco e planejar os momentos de descanso, por isso, suportam momentos de extremo esforço. Bailarinos se tornam mentalmente e fisicamente fortes, além de auto motivados estando o tempo todo sob avaliação e as mais severas críticas, inclusive as próprias.

Leia também - Thaís França: bailarina apaixonada e requisitada professora de piloxing

Disponibilidade emocional

Confiar no parceiro é fundamental para a dança e também para o mundo corporativo
Divulgação
Confiar no parceiro é fundamental para a dança e também para o mundo corporativo

Este fator pode definir a carreira de um bailarino de sucesso. Muitos nem sempre foram perfeitos tecnicamente, porém estavam completamente comprometidos emocionalmente. Você precisa ser capaz de olhar para seu partner (parceiro de dança) olho no olho para que o público sinta sua verdade. Nos negócios, esta relação também precisa acontecer. Sua equipe, chefe ou clientes precisam sentir que você está lá disponível e pronto para estabelecer uma relação de confiança. 

Saber deixar os outros brilharem

Uma coreografia basicamente, é sobre saber a hora de entrar e sair de cena. Não importa sua posição ou papel, todos que estão ali são importantes. O balé, sem dúvida, nos ensina muito sobre respeitar o outro, assumir sua posição ou trabalho e como em uma prova de revezamento repassar a cena para que outro a conduza de acordo com a proposta. Saber delegar e reconhecer a importância de cada função também é o desafio de um líder no mundo corporativo.  

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.