Christian Ullmann

Sustentável é pensar no futuro

Christian Ullmann é designer de produtos especialista em design para sustentabilidade. Sócio diretor da iT Projetos, tem trabalhos premiados na Itália, Argentina e Brasil

Peças de biocomposto: você ainda vai ter uma

Novo material que mistura plástico e matérias primas orgânicas de fontes renováveis permite criação de peças bonitas e resistentes

28/09/2010 07:57

  • Mudar o tamanho da letra:
  • A+
  • A-
Compartilhar:

Há quarto anos fui apresentado a um novo material, que tinha muitas qualidades interessantes. Era um composto de resina e fibras naturais, desenvolvido para produzir peças em grande escala industrial em processos de injeção e extrusão, e que possibilitava a substituição de até 40% de substância proveniente de petróleo.

Veja na galeria alguns produtos já desenvolvidos com o material

<span>Cachepô da Coza. O bioplástico de celulose foi adicionado a fibras naturais, injetadas no polipropileno</span> - <strong>Foto: Divulgação</strong> <span>Caixas Square da linha Bios: a mistura confere às peças aparência e aroma de madeira com a qualidade e resistência do plástico</span> - <strong>Foto: Divulgação</strong> <strong>Publicidade</strong> <span>Lixeira de pia Hide da OU, linha Eco. Capacidade para 3,5 litros</span> - <strong>Foto: Divulgação</strong> <span>Cadeira da linha Viva, da Cavaletti, para compor ambientes casuais e despojados</span> - <strong>Foto: Divulgação</strong> <span>Porta-talheres e lixeira da linha Bios, da Coza, com bioplástico proveniente da celulose adicionado</span> - <strong>Foto: Divulgação</strong> <span>Caixas organizadoras da linha Eco, da Ou. Além das caixas soltas, há a opção de conjuntos em suportes de metal</span> - <strong>Foto: Divulgação</strong> <span>Dispenser para detergente, da OU</span> - <strong>Foto: Divulgação</strong> <span>Os acessórios para banheiro da linha Native, da Coza, trazem em sua composição 35% de um bioplástico brasileiro feito com fibra e casca de coco</span> - <strong>Foto: Divulgação</strong>


Seu potencial era muito grande, porém, naquele momento, o mercado não estava pronto para fazer essa mudança. Passou o tempo e hoje já vemos este material e similares sendo utilizados para produzir peças para a mesa, utilitários, produtos decorativos, embalagens, cadeiras, decks, chapas de revestimento para móveis, divisórias, peças náuticas e até acessórios para a indústria automobilística.

Atualmente é possível produzir o material com diferentes tipos de fibras naturais como, por exemplo, de madeira reflorestada e com selo de certificação FSC, coco, linho, cânhamo e sisal injetados com polipropileno ou polietileno. O mais interessante é que o biocomposto é de fácil processabilidade, podendo até utilizar as matrizes existentes sem necessidade de novos investimentos.

Entre suas características técnicas está a baixa manutenção, a resistência a fungos, mofo, cupins e insetos e a impermeabilidade. Alem disso, ele é termicamente estável como os plásticos e dimensionalmente estável como a madeira.


SERVIÇO

<OU>
Tel: (54) 2101–9090

COZA
SAC: 0800 7044 144

Cavaletti Cadeiras Profissionais
Tel: (54) 3520-4100

Erkoplus Deck WPC
Tel: (49) 3561-2700

 

 

 

 


 

Sobre o articulista

Christian Ullmann - jbianchi@ig.com - Christian Ullmann é designer de produtos especialista em design para sustentabilidade. Sócio diretor da iT Projetos, tem trabalhos premiados na Itália, Argentina e Brasil

» Mais textos deste articulista

    Notícias Relacionadas


    Ver de novo