Benedito Abbud

Jardins para sentir e viver

Benedito Abbud é mestre em arquitetura paisagística pela FAU-USP. Ex-presidente da Associação Brasileira de Arquitetos Paisagistas tem projetos no Brasil e exterior

Trabalho e lazer no jardim

Bem planejado, o jardim pode ser um local perfeito para trabalhar com prazer

24/02/2011 15:58

  • Mudar o tamanho da letra:
  • A+
  • A-
Compartilhar:

Promover a integração e permitir áreas verdes para descansar ou trabalhar são os grandes desafios da nova arquitetura paisagística, que tem como objetivo fazer jardins para que as pessoas possam passar mais tempo neles com bem-estar.

Transformar o jardim num local com atividades é uma das grandes tendências. Além da possibilidade de fazer eventos, ou simplesmente reunir a família e amigos para apreciar a bela paisagem, a disseminação de novas tecnologias - que incluem celulares com acesso à rede, portabilidade e o sistema de internet sem fio - torna o espaço externo tão útil quanto o interno.

Até pouco tempo atrás, o jardim era, para muitos, apenas um espaço de contemplação. Hoje, embora as preocupações com beleza continuem, ele é vital como elemento para "desestressar" e, mais ainda, como fonte de prazer e trabalho: um verdadeiro descanso para os olhos e um estímulo à criatividade.

Sendo assim, quando você for organizar a varanda ou o quintal, pense em dois tipos de ambientes. O primeiro é aquele que acontece ao redor de uma mesa, no qual convida para comer e trabalhar, por isso o apoio é necessário.

O segundo caso são os ambientes de estar, que também podem acontecer em torno de uma mesa de centro. Mas ao invés de cadeiras, pode-se colocar bancos e sofás, onde ao sentar, a pessoa fica com a postura menos ereta, mais relaxada e confortável. A mesa, de preferência, tem que ser de material resistente: madeira ou metal, para poder colocar o pé em cima e dar um clima mais despojado ao lugar. Com relação às almofadas, o ideal é as com tecido náutico, que são mais resistentes para ficarem ao ar livre.

E não se esqueça da oxidação que é intensa nas cidades litorâneas. Alumínio anodizado, ou pintado, aço inoxidável e materiais rústicos como pedra, madeira, cerâmicas e porcelanatos são os mais indicados. Por se tratar de ambientes externos, é recomendável escolher móveis de boa qualidade, já que serão submetidos a situações extremas de sol, chuva e poeira.

 

Sobre o articulista

Benedito Abbud - jbianchi@ig.com - Benedito Abbud é mestre em arquitetura paisagística pela FAU-USP. Ex-presidente da Associação Brasileira de Arquitetos Paisagistas tem projetos no Brasil e exterior

» Mais textos deste articulista

    Notícias Relacionadas


    Ver de novo