Mirna Zambrana

Construa e reforme com planejamento

Mirna Zambrana é formada em arquitetura e urbanismo pelo Mackenzie. Sócia de Aurélio Martinez Flores, tem vasta experiência em projetos residenciais e comerciais

Equilíbrio solar

Escolher um imóvel bem orientado em relação ao sol é o primeiro passo para ter uma casa confortável

03/11/2010 15:58

  • Mudar o tamanho da letra:
  • A+
  • A-

Na compra de um imóvel usado ou no planejamento de um novo, uma das questões a serem observadas é a posição da casa em relação à orientação do sol. Talvez esta seja a mais importante, já que encanamentos, pisos, janelas e portas, a gente consegue substituir. Mas refazer a posição de um quarto é difícil, principalmente em apartamentos.

Foto: Reprodução

Na hora de adquirir um imóvel, verifique se ele está voltado para Noroeste ou Nordeste, as direções mais favoráveis

A orientação, ou seja, os pontos cardeais são Norte, Sul, Leste e Oeste, que se dividem em quatro partes: no sentido horário, Nordeste, Sudeste, Sudoeste e Noroeste.

Para quem mora abaixo da linha do Equador, no hemisfério Sul, o sol nasce no quadrante Nordeste e se põe no quadrante Noroeste, passando pelo Norte. Existe uma variação, durante o ano, do local exato à Leste ou Oeste do ponto de nascente e poente. Essa volta diária é mais inclinada no inverno e mais alta no verão. Isso tudo em relação a um expectador postado no solo terrestre.

Os quadrantes favoráveis são Nordeste e Noroeste. Mesmo se a construção estiver implantada com as janelas voltadas para essas direções, verifique se não há sombra de outras construções mais altas ou árvores que bloqueiem a luz solar.

Para você se certificar da posição correta da casa em relação ao Norte, peça uma planta que contenha a seta Norte no desenho. Se isso não for possível, localize o lote em um guia de ruas. O Norte estará sempre na parte superior da folha e paralelo às suas laterais.

Nem sempre é possível que todos os ambientes da casa recebam sol diretamente. Quando isso acontece, a solução é privilegiar os locais de repouso e maior permanência para as faces mais ensolaradas. Os dormitórios, preferencialmente, devem pegar o sol da manhã, fresco e bactericida. Assim, até o anoitecer, esse cômodo terá tempo de resfriar.

O sol após o meio dia é cruel no verão, porém, não podemos descartá-lo do nosso plano de aquecimento da casa, porque no inverno ele nos fará muita falta.

Uma das formas de amenizar o calor excessivo proporcionado pelo sol no verão é recorrer a algumas barreiras arquitetônicas. Entre as mais simples cito:

- o beiral – prolongamento do telhado em relação à parede ou marquises acima das janelas.

- os brises – muito usados na arquitetura moderna, principalmente em edifícios. São lâminas, horizontais ou verticais, móveis ou não, que se assemelham às venezianas, deixam passar luz e inibem o sol de determinados horários.

- janelas com persianas de enrolar. Com encaixe que proporciona boa ventilação, podem ser abertas projetando-se para frente, permitindo a entrada de luz e sombreando o cômodo.

- as árvores – escolha as de espécies que soltam folhas no inverno (decíduas), permitindo a passagem dos raios solares. Porém, alguns cuidados em relação ao local de plantio devem ser tomados, para que não entupam bueiros e nem calhas de telhados.

- a tela térmica – é uma cortina rolo (de enrolar) feita com tecido composto por fibra de vidro e PVC. Permite a visão externa durante o dia e reflete os raios solares.

 







 

 

Sobre o articulista

Mirna Zambrana - [email protected] - Mirna Zambrana é formada em arquitetura e urbanismo pelo Mackenzie. Sócia de Aurélio Martinez Flores, tem vasta experiência em projetos residenciais e comerciais

» Mais textos deste articulista

    Notícias Relacionadas


    Ver de novo