Tamanho do texto

Conhecido pela criação do Cobi, símbolo das Olimpíadas de Barcelona, o designer espanhol Javier Mariscal invade o Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo, com 60 obras em exposição

O trabalho do designer espanhol Javier Mariscal chama atenção pelo humor e a irreverência, sempre envoltos por cores vibrantes. Mas em seu processo criativo, entretanto, a seriedade é total. “ Quando se trata de design, não existe bonito nem feio , mas sim o que realmente funciona”, diz ele, que esteve em São Paulo nesta semana para o lançamento de algumas peças e a abertura de uma exposição sobre sua trajetória, marcada pela criação, em 1992, do personagem Cobi, símbolo das Olimpíadas de Barcelona.

Leia também: Valorização do artesanato é caminho para sucesso do design brasileiro

A mostra “Todas as Cores de Mariscal”, realizada pelo Instituto Tomie Ohtake em parceria com a Tok&Stok, tem curadoria assinada pelo próprio artista e apresenta 60 peças – de móveis, luminárias, brinquedos, projetos gráficos a animações –, que revelam a versatilidade do designer. A percepção de funcionalidade, tida por Mariscal como elemento básico em qualquer projeto, também pode ser claramente notada ao longo da exposição, que vai até 29 de setembro.

Mais: 
- "Falta paixão na arquitetura brasileira atual", diz Sergio Rodrigues

Mariscal se preocupa em identificar “problemas” durante as criações e se empenha em resolvê-los. A questão inicial neste processo pode estar relacionada à falta de tempo ou dinheiro para produzir, à necessidade de ser inovador ou de haver tecnologia de ponta envolvida. Mas o importante é descobrir como finalizar o trabalho da maneira certa. “Desenhistas são como médicos que precisam fazer um bom diagnóstico. Novos projetos resultam de muita racionalidade. Imaginar ‘momentos iluminados’ ou ‘inspiração’ para resolver problemas é algo sem sentido”, afirma.

"Imaginar ‘momentos iluminados’ para resolver problemas é algo sem sentido"

O traço simples e o objetivo de surpreender também marcam o trabalho do designer espanhol. Multifacetado, ele já se viu envolvido na criação de móveis, louças, artes gráficas, animações e até na codireção do longa-metragem Chico&Rita (indicado ao Oscar em 2012). De onde vem tamanha criatividade? O experiente profissional garante que de um olhar alerta para tudo. “Filmes, arquiteturas e trabalhos de outros desenhistas são boas fontes de informação. O essencial é estar sempre curioso e atento”, diz.

Javier Mariscal defende ainda a necessidade de tratar o desenho como uma linguagem internacional. Segundo ele, todas as pessoas são capazes de ser atraídas por um projeto bem realizado. E é desse modo que o designer se prepara para montar uma exposição repleta de obras sensoriais em Seul, na Coreia do Sul, e finalizar um projeto residencial em terras japonesas. No Brasil, lança uma coleção de louças, roupas de cama e itens para pets na Tok&Stok e também assina uma linha de cubas, para a Roca, com ilustrações de temas esportivos - em homenagem a Copa do Mundo e aos Jogos Olímpicos de 2016.

Serviço:
Mostra: 
Todas as Cores de Mariscal
Local: Instituto Tomie Ohtake
Data: de 29 de agosto até 29 de setembro
Endereço: av. Faria Lima, 201 (entrada pela rua Coropés) - São Paulo
Horário: terça a domingo, das 11h às 20h
Entrada gratuita

Veja ainda:
- Valorização do artesanato é caminho para sucesso do design brasileiro
- “Só tem espaço no Brasil o designer que faz cadeira e mesa”, diz Brunno Jahara

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.