Tamanho do texto

Chegada do verão aquece procura por cirurgia, que aumentou 20% no Rio, apesar da crise

O Dia

Cariocas deixam até de viajar para colocar silicone nos seios
Thinkstock
Cariocas deixam até de viajar para colocar silicone nos seios

Fim de inverno com temperatura a quase 40 graus no Rio e as cariocas já se preparam para desfilar o biquíni em novo tamanho. Com a proximidade do verão, muitas mulheres aproveitam para turbinar os seios. Dados divulgados recentemente pela Silimed, considerada a maior fabricante de próteses da América Latina, apontam que, apesar da crise econômica, o número de cirurgias de implante mamário aumentou 20% no Rio de Janeiro este ano, em relação ao primeiro semestre do ano passado. De acordo com a empresa, a cidade já é a que mais vende próteses mamárias no Brasil.

Uma das razões para a maior procura pelas cirurgias é o custo mais elevado do turismo no exterior para os brasileiros. Com isso, as mulheres passaram a investir o dinheiro em outros sonhos de consumo.

Liliane realizou o sonho de aumentar os seios há quatro meses: colocou 300ml. 'Vou aproveitar o verão'
Arquivo pessoal
Liliane realizou o sonho de aumentar os seios há quatro meses: colocou 300ml. 'Vou aproveitar o verão'

A bancária Liliane Vaz, de 37 anos, realizou o desejo de aumentar os seios há apenas quatro meses, colocando 300 mililitros em cada mama. “A autoestima é tudo. Antes como não tinha nada, valorizava outras partes do corpo. Mas me incomodava. Hoje visto uma roupa e me sinto bem. Vou aproveitar o verão e usar muito decote”, diverte-se.

Segundo o cirurgião plástico José Carlos Pereira Pinto, da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), o aumento na procura pelo implante de silicone nos seios durante o ano inteiro está ligado à vaidade feminina. “As mulheres querem estar bem fisicamente e com a autoestima elevada para exibir o corpo na alta estação”, afirma.


Também aumentou a procura de estrangeiras —especialmente da França, Inglaterra, Itália e Estados Unidos — por realizar a cirurgia no Brasil. O motivo é não só a qualidade do serviço, mas também o fato de o custo da cirurgia ser menor. Em média, o procedimento custa de R$ 10 mil a R$ 15 mil no país, já incluindo a prótese e a equipe médica, enquanto na Europa, o preço pode quadruplicar, chegando a R$ 60 mil, por causa do euro valorizado.

Exposição ao sol, só depois de 30 dias

O procedimento para implantação de silicone é tranquilo e a recuperação é muito rápida, segundo o cirurgião José Carlos Pereira Pinto. Em três ou quatro dias, a paciente está liberada para voltar a sua vida social. “No pós-operatório, deverá fazer repouso, não pegar peso e evitar o sol por 30 dias para que a cicatriz fique imperceptível”, orienta.

Mas é preciso cuidado: apesar de usar anestesia local, a cirurgia envolve riscos e deve ser feita em hospital e por cirurgião plástico habilitado pela SBCP. Como garantia, a paciente deve guardar o certificado da prótese, que dura, em média, dez anos, para o caso de futuras consultas ao fabricante.

Leia esta e outras notícias no  site do jornal O Dia.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.