Testar coisas inusitadas e explorar novos tipos de prazeres é muito importante para a satisfação sexual em um relacionamento. Para casais heterossexuais, a inversão de papéis é uma ótima forma de sair da rotina e descobrir outras dinâmicas na cama.

Uma prática comum para os que decidem se aventurar pelos caminhos da inversão é o pegging -- quando uma mulher penetra o homem, geralmente utilizando um strap on, que é uma cinta com dildo acoplado.

“Muitas vezes a iniciativa parte da mulher, às vezes por um fetiche de dominação. Mas, por mais tentador que essa descoberta possa parecer, não vale a pena ir com muita sede ao pote, pois o assunto ainda é um tabu para muitos homens”, avalia Marcos Santos, psicólogo especialista em sexualidade humana da plataforma Sexo Sem Dúvida

De acordo com Marcos, a preparação para o pegging vem em duas vertentes: psicológica e física. Todos os envolvidos precisam estudar bem a prática, seja com leituras ou vídeos disponíveis na internet, para que se sintam seguros na hora de colocar tudo em prática. Já as preparações físicas são os estímulos anais que a mulher pode ir explorando nas preliminares, seja com massagens, beijos, lambidas, introdução do dedo ou de brinquedos.

Quais são as melhores posições para o pegging?

posição sexual
Shayene Mazzoti/ Portal IG
A posição de quatro é coringa para o sexo anal e costuma gerar bastante prazer tanto para o homem quanto para a mulher

“Mesmo para iniciantes, a posição de quatro, que é a mais comum, costuma ser uma boa opção. Ela é interessante também por satisfazer o fetiche de dominação feminino, pois é a mulher que controla os movimentos, pode apertar a cintura e o quadril, enquanto o homem está submisso. Nessa posição a mulher também pode aproveitar e estimular o pênis do parceiro, intensificando ainda mais o prazer”, explica o psicólogo.

Outra posição que costuma ter uma avaliação positiva dos casais que estão começando com a inversão é a do abraço de ursa, onde o homem está de bruços e a mulher vai por cima, envolvendo o corpo com os braços e penetrando por trás. Nessa posição, o homem consegue ter um pouco mais de controle sobre a penetração, movimentando o corpo para que também fique confortável para ambos.

Qual cinta usar?

“As faixas das cintas disponíveis em sex shops muitas vezes ficam em cima dos lábios vaginas, então é preciso analisar o possível desconforto que o material usado pode gerar, comparar modelos e buscar materiais não muito rígidos, que fiquem bem presos ao corpo sem machucar”, diz. As cintas costumam ter tamanhos ajustáveis para cada corpo, mas não promovem nenhum tipo de estímulo físico para a mulher que está usando, os ajustes são apenas para conforto.

“Já sobre a prótese peniana, muitos tem dúvidas sobre o tamanho que devem usar no começo. Sempre recomendo que comece usando o tamanho menor, pode ser um pouco mais fino também e de uma borracha mais macia, como a cyber skin, que é o mais próximo que se tem da pele real no mercado”, completa Marcos.

Diálogo é muito importante em todo o processo e todos devem estar de acordo com as decisões tomadas, alguns homens, por exemplo, não gostam de cintas com dildos que se aproximam muito de um pênis real, então existem outras opções, com cores e texturas variadas. A camisinha e os lubrificantes são sempre fortes aliados na penetração anal, não apenas deixando o sexo mais prazeroso como também mais seguro.

lubrificante e camisinha
Shayene Mazzoti/ Portal IG
Camisinha e lubrificante são aliados na prática do pegging


    Veja Também

      Mostrar mais