Tamanho do texto

Apesar de ser mais comum na vida dos homens, a compulsão sexual também pode aparecer nas mulheres, que sofrem mais com o transtorno psiquiátrico

Falar de compulsão é imaginar alguém que não resista e só pense em determinada coisa. O objeto de desejo pode variar: a pessoa pode ter compulsão por comidareligião , futebol , trabalho , esporte  e existe até a compulsão sexual, que como o próprio nome diz, é aquela relacionada ao sexo.

+  No swing tudo é liberado: sexo, troca de parceiros e observar casais transando

O fato é que a compulsão é um comportamento que determinada pessoa tem em relação à alguma coisa e quando trata-se do sexo, significa que a pessoa tem uma exacerbação do comportamento sexual, que pode se manifestar por uma séria de práticas, segundo o psiquiatra Daniel Sócrates.

A compulsão sexual significa que a pessoa tem uma exacerbação de seu comportamento em relação ao sexo
Thinkstock/Getty Images
A compulsão sexual significa que a pessoa tem uma exacerbação de seu comportamento em relação ao sexo


"Busca compulsiva de novas parcerias (múltiplos parceiros), masturbação compulsiva, múltiplos relacionamentos sexuais, consumo exacerbado de filmes ou literatura erótica ou uso compulsivo de internet para excitação sexual (sites ou salas para prática de sexo virtual) caracterizam esse transtorno", explica o especialista.

+ Libido: cada vez mais mulheres usam produtos para aumentar o desejo sexual

Segundo Daniel, esse tipo de compulsão é classificado como uma doença psiquiátrica do grupo de Transtornos do Impulso, e diversos fatores podem influenciar nesse problema, que afeta tanto os homens quanto as mulheres.

+ Preliminares - veja dicas para começar melhor a relação sexual

"Uma pessoa pode ter essa compulsão devido a história familiar de compulsão sexual, dependência ao álcool, dependência de drogas ou outros comportamentos; famílias com funcionamento problemático; experiências de contato sexual com adultos na infância", explica o profissional.

via GIPHY



Ainda segundo o especialista, a característica da compulsão está estimada entre 3 e 6% da população norte-americana (não há estimativa de dados brasileiros), com predomínio entre homens, o que pode ser atribuido com fatores socioculturais. "O homem que se dedica muito ao sexo é considerado pela sociedade como 'viril' ,  'machão' (o que pode ser algo positivo). Já em relação às mulheres, esse tipo de atitude é muito menos aceita", analisa. 

Prejuízos

Muitos prejuízos podem acontecer com as pessoas que têm essa compulsão, inclusive, a pessoa pode evitar companhia de amigos e programas com mais pessoas em função do sexo. 

Além disso, podem acontecer prejuízos familiares, financeiros e profissionais, "uma vez que o pensamento frequentemente volta-se para o sexo e para maneiras de consegui-lo", como ressalta Sócrates.

Tratamento

Para os pacientes que sofrem de compulsão sexual é recomenda terapia sexual, que se baseia na busca pelo controle do comportamento. "Em associação ao processo terapêutico, geralmente também são administrados antidepressivos, que colaboram para inibir o desejo", explica o médico.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.