Tamanho do texto

Bruna e Fabio são o casal anti e pró-impeachment, mas você acha que eles brigam por isso? Conheça essa história que soa como "Romeu e Julieta da política"

Você diria que é possível manter um relacionamento duradouro e saudável mantendo convicções políticas contrárias à ideologia do seu parceiro? Parece muito difícil - né? - como uma história de conto de fadas, ou melhor, uma peça shakespeariana.

Há cinco anos, Bruna Ferreira, de 29 anos, namora Fabio Asdente, de 38 anos. Ela é publicitária e ele, advogado, e ambos moram em São José dos Campos, no interior de São Paulo. Até aí, tudo bem se eles não fossem uma espécie de casal "Romeu e Julieta da política". Nesse domingo (17) de votação da Câmara dos Deputados e manifestações pró e contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff, ficou bem evidente a única coisa que os separa: Bruna vestiu vermelho e  Fabio, camiseta verde e amerela. Mas não se engane: os dois acompanharam juntinhos tudo o que aconteceu pela televisão.

Casal Fabio e Bruna é uma espécie de Romeu e Julieta da política: ele veste amarelo e é a favor do impeachment; ela, de vermelho, é contra
Arquivo pessoal
Casal Fabio e Bruna é uma espécie de Romeu e Julieta da política: ele veste amarelo e é a favor do impeachment; ela, de vermelho, é contra


A petista e o tucano

"Nos conhecemos durante um jantar de premiações dos empresários. Namoramos há muito tempo, mas, até bem pouco tempo atrás, política não era um assunto tão debatido. Então, nos conhecemos como sendo a Bruna e o Fabio, pessoas que estudam, que trabalham, que se divertem e frequentam os mesmos lugares - e não como a petista e o tucano, como as coisas se transformaram recentemente", explica ela, ao Delas .

+ Mulher perde 143 kg e se separa de marido que preferia que ela continuasse gorda

"Nunca vai dar certo"

Segundo Bruna, assumir uma posição política nunca é fácil. "Ainda mais quando você é minoria: meu círculo social todo é tucano. Aliás, aqui em São José predomina o PSDB, acho que 90% da cidade é tucana. Mas eu, desde adolescente, sempre militei pelo social, sempre estive envolvida com ONGs e outras ações sociais. Inclusive, por isso, muita gente me conhece na cidade, o que, claro, gerou aqueles comentários: 'nossa, mas como você namora o Fabio?! Ele e os amigos dele são todos tucanos, Bruna. Nunca vai dar certo porque são ideais muito diferentes'", relata a publicitária.

Ele é o coxinha mais lindo do mundo"

Os amigos e parentes dele também se posicionam e dão palpites sobre a relação. "Eles dizem: 'Fábio, essa menina é comuna, essa menina é louca, quem vota no PT?' Mas meu namorado sempre me admirou e me apoiou nos meus trabalhos e nunca permitiu que nossos posicionamentos políticos refletissem na nossa relação. Ele nunca me enxergou como 'a petista', mas como a pessoa empenhada em promover crianças e jovens de baixa renda", analisa.

Diferenças políticas na relação

Para Bruna, na primeira eleição que passaram juntos, o comportamento de Fabio a supreendeu. "Meu candidato petista ganhou e meu namorado me deu apoio. Ele dizia: 'Bruna, meu candidato perdeu, mas sei o quanto você queria que o seu ganhasse, então, estou feliz por você'. E era sincero, tenho certeza", diz. Nas mais recente eleição para a presidência, em 2014, a harmonia do casal ainda foi além. "Fomos votar juntos. Fui de vermelho e ele, de amarelo. Nossa escola de votação é na zona nobre da cidade, onde predominavam tucanos; imagine a cara das pessoas ao me verem? E Fabio me defendia! Na época, postamos uma foto desse momento e muita gente compartilhou, apreciando a atitude", recorda.

"Nas recentes passeatas, fui sozinha a São Paulo, na Avenida Paulista, ouvir o discurso do Lula!", adiciona ela.

Um relacionamento tão atípico tem suas regras e uma delas é fundamental para lidar com as diferenças. "Nunca discutimos política. Ele respeita minha ideologia e eu, a dele".

Nada vai mudar o nosso amor. Te amo, minha petisitinha linda"

Brigas em família

A união de Bruna e Fabio, mesmo depois de tanto tempo, ainda não é totalmente aceita no ambiente familiar. "O mesmo respeito não podemos encontrar nos nossos parentes, que nos massacram por isso. Recentemente, minha mãe e ele discutiram - amigavelmente - mas ela não se conteve e jogou a bandeira do PT nele! E o pai dele me chamou de anencéfala!", conta, com um certo bom humor. "É tudo verdade, da bandeirada até a anecéfala! Mas nada vai mudar o nosso amor. Te amo, minha petisitinha linda", emenda Fabio.

Ataque nas redes

Assim que compartilharam a entrevista no Facebook, na tarde desta segunda-feira (18), o casal percebeu que a reação das pessoas ao redor pode se destacar ainda mais nas redes - e por pessoas desconhecidas. "Depois desta reportagem ser publicada, nos chamaram até de racistas, você acredita? As pessoas que estão ficando loucas e intolerantes. Nós preferimos a compreensão e o respeito", enfatiza Fabio, em resposta a uma internauta. "Os discursos de ódio estão por toda parte para serem ditos por gente pequena. Nós sabemos das nossas verdades e quem nos conhece também", completa ela.

Reprodução do perfil de Bruna no Facebook mostra intolerância nas redes
Reprodução
Reprodução do perfil de Bruna no Facebook mostra intolerância nas redes


"Não massacramos o outro com nossa opinião"

"Funcionamos assim: não massacramos o outro com a nossa opinião, muito pelo contrário. Somos maleáveis o suficiente para entender as razões que o outro tem para fazer suas escolhas e respeitamos isso. Hoje, entendo muito mais de economia do que antes, graças aos nossos inúmeros debates sobre o momento em que vivemos. E ele, por sua vez, tem um olhar muito menos egoísta do que antes e compreende a necessidade de olhar para a classe trabalhadora, para os movimentos das minorias. Ele é o coxinha mais lindo do mundo. Menos discurso de ódio, porque hoje já está demais!",  finaliza.

Fabio e Bruna: 'ele é tucano e eu, petista'
Arquivo pessoal
Fabio e Bruna: 'ele é tucano e eu, petista'


    Leia tudo sobre: impeachment
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.