Tamanho do texto

Segundo sexóloga, carnaval é o período em que as pessoas se despem de pudores e permitem se libertar

Não é de hoje que o carnaval é conhecido como a época de se liberar sexualmente. Com sua origem em uma festa pagã, o significado de aproveitar os dias, festejar e de tudo estar liberado neste período permanece.

A sexóloga Carla Cecarello aponta o que acontece para algumas pessoas nestes dias: “Ao longo de todo ano, as pessoas são movidas pelas regras e por seus próprios pudores e, nestes momentos, elas permitem se liberar, se despirem de seus pudores”.

Carnaval: para muitos, tempo de liberar geral e ousar com novas experiências
Thinkstock Photos
Carnaval: para muitos, tempo de liberar geral e ousar com novas experiências

Tem homem que se veste de mulher e gente que decide fazer algo que nunca fez relacionado à sexualidade só por que é carnaval. Isso acontece, de acordo com a sexóloga, pois nesse momento existe uma permissão social para fugir de todas as regras: “Passado este período, volta tudo ao normal”.

Uma paulistana que não quis se identificar levou essa máxima ao pé da letra: usou o feriado do carnaval para se aventurar pela primeira vez em uma “sexy party”. Segundo ela, esse encontro é "uma festa onde todo mundo vai para transar e ninguém é de ninguém”.

“Desde pequenos crescemos com informações de que ‘no carnaval pode’ ou que ‘carnaval é bagunça e pegação’. Um amigo fez uma festa dessa no carnaval e eu fui”, conta ela, que acredita que tudo o que se faça carrega menos culpa nestes dias de folia.

A bebida é apontada como o grande combustível para a pegação neste período: "O carnaval é uma festa em que tudo é liberado! A gente fica mais solta e encara pessoas que no dia a dia não pegaria", opina Caroline Corrêa, de 33 anos.

Já a cozinheira Maria Lima, de 32 anos, é tímida, mas também aproveita o carnaval para se esbaldar: "Raramente saio pra badalar. O dia a dia é corrido e às vezes falta energia pra encarar a noite, o sexo casual, etc. O período de folga do carnaval me deixa relaxada para topar qualquer coisa".

As vantagens e desvantages de liberar geral

Optar pelo carnaval para viver novas experiências tem um lado bom e outro ruim para a sexóloga Carla Cecarello. O lado positivo é o fato de as pessoas se permitirem. “A pessoa, provavelmente, está colocando à mostra um lado dela que sempre teve vontade, mas nunca teve coragem”, analisa.

Para Carla, o problema em se jogar completamente na folia vem do famoso ditado: quem nunca comeu melado, quando come, se lambuza – “e tem uma dor de barriga daquelas!”, completa a sexóloga.

“Se a pessoa entra em uma situação desconhecida, muito aberta, ela pode se machucar radicalmente e cair em um arrependimento muito grande”, explica. “Tem de ir quebrando os medos aos poucos, ao longo da vida.”

Relacionamento sério?
Outro alerta que Carla faz para quem está curtindo o carnaval é: não espere encontrar alguém para relacionamento sério na folia.

“É a pior época do ano para tentar arrumar um namorado. Ninguém vai para o carnaval com essa intenção”, diz Carla. Ela ainda sugere: “Vá curtir o carnaval não só pela música, mas para curtir um prazer com consciência e pronto.”


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.