Especialistas dizem que este é o primeiro passo para a oncologia personalizada, que pode beneficiar inúmeras pacientes

Estudo aponta que teste genético pode reorientar o tratamento do câncer de mama
Getty Images
Estudo aponta que teste genético pode reorientar o tratamento do câncer de mama
O Grupo Espanhol de Pesquisa em Câncer de Mama (Geicam) confirmou em um estudo que um teste genético denominado Oncotype Dx ajuda a reorientar o tratamento do câncer de mama em um terço das pacientes e que representa um primeiro passo para a oncologia personalizada. O Geicam é formado por 660 especialistas que trabalham em 176 hospitais.

Para validar esse teste, que foi realizado em sete centros, entre eles o Hospital del Mar, em Barcelona, foram estudados 107 pacientes, informa o centro hospitalar em comunicado.

Conheça o Guia de Exames do iG Saúde

O resultado constata, segundo o chefe de serviço de oncologia do hospital, Joan Albanell, que o teste orienta o especialista na decisão de acrescentar ou não quimioterapia ao tratamento com terapia hormonal em pacientes com câncer de mama em estádio precoce.

Segundo Albanell, também prediz a magnitude do benefício da quimioterapia e avalia o risco real de recaída da paciente.

Para este especialista, o teste é muito útil porque evita a quimioterapia em mulheres nas quais o benefício previsto é mínimo ou inexistente, tanto pela toxicidade quanto pelo próprio custo do tratamento.

Leia também:
Exames médicos vão usar tecnologia da Nasa
Prepare-se para a mamografia

O impacto do Oncotype Dx já foi avaliado nos Estados Unidos, mas, para estender os resultados a outras populações, era necessário fazer estudos em outros países, segundo as mesmas fontes.

A Espanha foi o primeiro país europeu a validar o impacto clínico desse teste e, a partir de agora, serão iniciados estudos em outros países do continente.

Os resultados da pesquisa foram publicados na revista Annals of Oncology.

Leia mais:
Um câncer de mama diferente em cada etapa da vida
A menopausa, o medo e o câncer de mama

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.