Higiene bucal mal feita é uma das causas de parto prematuro e nascimento de bebês com baixo peso

A cada 10 gestantes atendidas nos postos de Saúde do Estado de São Paulo, oito apresentam algum tipo de problema bucal. Gengivites, cáries e placas são as ocorrências mais comuns relatadas no balanço da Secretaria de Estado da Saúde.

A pesquisa teve como base os dados de atendimentos de pré-natal realizados ao longo de 2010 no Hospital e Maternidade Interlagos, a maior maternidade pública da zona sul de São Paulo.

Segundo estimativa do programa “Boca Saudável, Gravidez Saudável”, aproximadamente 7% das pacientes examinadas apresentam problemas mais graves, como o granuloma, uma espécie inchaço que se forma na gengiva.

O chefe do Serviço de Odontologia da Maternidade Interlagos, Francisco Barata Ribeiro, alerta que a higiene bucal mal feita pode ser uma das causas de um parto prematuro e responsável pelo o nascimento de bebês com baixo peso.

“As mudanças hormonais que ocorrem na grávida durante o período de gestação fazem a mulher ficar mais propensa a problemas bucais. Por isso, a atenção deve ser dobrada em todo o período, principalmente a partir do segundo trimestre de gestação”, aconselhou Ribeiro.

O especialista aponta cinco dicas essenciais para auxiliar as gestantes a manter a saúde bucal durante toda a gravidez:

- Substitua alimentos ricos em carboidratos e açúcares por frutas e vegetais

- Reforce o corpo com vitaminas B, C e Cálcio

- Após vômito por enjôo de gravidez, faça bochecho com água oxigenada ou algum antiácido antes de escovar os dentes

- Escove os dentes mais vezes ao dia e não esqueça de passar o fio dental

- Aumente a freqüência de visitas ao dentista

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.