Estudo sugere que a doença retarda a menopausa em dois anos

A Síndrome do Ovário Policístico (SOP) costuma estar associada à dificuldade de engravidar. Isso por causa dos ciclos não-ovulatórios, que são mais frequentes com a doença. Contudo, uma recente pesquisa sugere que a síndrome possa favorecer gestações tardias.

A razão disso estaria, segundo o estudo, no hormônio Anti-Mulleriano (AMH), que geralmente é mais alto em mulheres com ovário policístico. Essa substância age diretamente no envelhecimento do órgão, retardando esse processo.

O endocrinologista Tehrani Fahimeh Ramezani, da Universidade de Ciências Médicas Shaheed Beheshti, no Irã, acredita que o hormônio pode postergar em até dois anos a menopausa. A consequência disso seria um favorecimento de gestações tardias.

Para chegar a essa conclusão, o médico comparou o nível de AMH em dois grupos de voluntárias. Um deles formado por 85 mulheres portadoras da síndrome e outro com 89 voluntárias saudáveis. Elas foram acompanhadas por seis anos.

Entre as portadoras da síndrome, foi constatada diferença na quantidade do hormônio. Mas esse índice ficou cada vez mais semelhante ao de mulheres saudáveis, conforme elas se aproximavam da menopausa.

O ginecologista e obstetra Rogério Bonassi Machado, presidente da comissão anticoncepção da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia), sugere cautela ao analisar o estudo.

“A síndrome é antiga e ninguém nunca fez essa associação”, comenta. Para Machado, o resultado pode ser uma “coincidência estatística” e, por isso, precisa ser melhor investigado com outros estudos. “Não dá para generalizar o resultado e dizer que ele é válido para toda a população”, alerta.

O ginecologista explica ainda que a chegada da menopausa pode variar simplesmente por questões genéticas. E, no estudo, a variação constatada entre mulheres saudáveis e portadoras da síndrome foi pequena.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.