Veja o que fazer para evitar problemas e frustrações ao longo do período de tentativas

Positivo no exame: cuidar do peso e parar de fumar são duas dicas para aumentar as chances de engravidar
Getty Images
Positivo no exame: cuidar do peso e parar de fumar são duas dicas para aumentar as chances de engravidar

Se engravidar está no topo da sua lista de desejos para este ano, é bom saber que a tarefa exige ao menos um mínimo de preparação. E não estamos falando de maturidade, casa própria, boa situação financeira ou estabilidade no trabalho.

Quem planeja uma gravidez para 2016 precisa, antes de mais nada, colocar a saúde em dia. Veja a seguir algumas dicas que podem ajudar a conquistar o sonho de ter um bebê – ou ao menos diminuir estresse e problemas relacionados ao tema.

1- Não comente o plano
Não fique alardeando aos quatro ventos que você está tentando engravidar. As pessoas são naturalmente curiosas com esse tema e ser cobrada o tempo todo não vai ser legal, acredite.

Leia mais: Fatores psicológicos interferem na fertilidade

2- Vá ao médico
Comunique seu desejo ao seu ginecologista e peça a ele um check-up pré-gestacional, para avaliar a sua saúde. A antecedência sugerida Renato de Oliveira, ginecologista responsável pela área de reprodução humana da Criogênesis, é de 6 meses. Neste tempo é possível fazer os exames indicados, para diagnosticar alguma possível infecção ativa como rubéola, toxoplasmose, entre outras: "Mulheres que engravidam na vigência dessas doenças são mais suscetíveis a ter bebês com mal-formações", explica o ginecologista. Além disso, este é o tempo hábil para tomar as vacinas necessárias e iniciar a suplementação com ácido fólico.

É indicada a suplementação de ácido fólico antes da gestação
Getty Images
É indicada a suplementação de ácido fólico antes da gestação

3- Tome ácido fólico
É indicada uma suplementação de ácido fólico - uma vitamina do complexo B - no mínimo 30 dias antes da concepção, mas o ideal é começar a tomar o suplemento vitamínico 3 meses antes de engravidar. "Isto pode reduzir o risco de defeitos no fechamento do tubo neural do bebê", esclarece Renato.

4- Conheça seu histórico familiar de doenças
Renato alerta sobre a importância de investigar se há casos na família de anemia falciforme, fibrose cística, defeitos congênitos ou problemas de coagulação do sangue, por exemplo. Esse processo é necessário para prevenir complicações da gravidez e avaliar a possibilidade de riscos para o bebê.

5- Previna-se do zika vírus
Com o surto de zika vírus, que pode gerar crianças com microcefalia quando infecta gestantes, é preciso ficar alerta. Para quem não está com pressa de engravidar - seja pela idade ou por questões alheias a essa - uma boa dica é esperar ao menos passar o verão. Mas caso prefira engravidar ainda no começo do ano, a principal recomendação é prevenção: não deixar objetos com água parada, tentar usar roupas qe protejam mais o corpo e não deixar de usar repelente são as dicas de Renato de Oliveira.

Leia mais: Vírus Zika e microcefalia: tire suas dúvidas

6- Cuide do peso
Sobrepeso e obesidade podem ser um problema para quem quer tentar a maternidade, pois os quilos a mais dificultam a gravidez e são fatores de risco para doenças sérias como diabetes e pressão alta. Da mesma forma, mulheres magras demais têm taxas mais altas de infertilidade, pois o organismo fica fraco demais para suportar uma gravidez.

Leia mais: Os mitos sobre a alimentação na gravidez

7- Faça exercícios físicos

Controla o peso, fortalece a musculatura, melhora o sono e mais: um combo de benefícios
Thinkstock
Controla o peso, fortalece a musculatura, melhora o sono e mais: um combo de benefícios


Além de controlar o peso, fortalecer a musculatura e melhorar a postura – acredite, você vai precisar dessas três coisas quando estiver grávida – a atividade física previne o aparecimento do diabetes gestacional, ajuda a controlar a pressão sanguínea, alivia o estresse e melhora o sono. Tudo isso junto forma um organismo mais saudável, o que ajuda a aumentar as suas chances de engravidar.

Leia mais:  Exercício na gravidez requer moderação

8- Não beba ou fume
Pesquisas científicas já constataram: mulheres que bebem e fumam têm mais dificuldades para engravidar. O consumo excessivo de álcool pode alterar o ciclo menstrual e dificultar a ovulação. Já o tabagismo, além de diminuir a fertilidade, aumenta o risco de complicações naquelas que engravidaram. Antes de começar a tentar engravidar pare de fumar e limite o consumo de álcool a ocasiões especiais.

9- Vacine-se
Verifique e atualize sua caderneta de vacinação. É recomendado estar em dia com as vacinas contra rubéola, sarampo, coqueluxe, hepatite B e tétano, alerta o ginecologista da Criogênesis. As três últimas podem ser feitas na gravidez, se necessário. Além da vacina contra influenza, que é feita em toda gestante, de acordo com orientação médica.

10- Faça sexo

via GIPHY

Parece uma dica boba, mas não é. Especialistas em reprodução dizem que uma parte dos casais não consegue ter filhos simplesmente porque não faz sexo com uma frequência que aumentaria as chances de engravidar. Na espécie humana, ter sucesso na reprodução é mais complexo do que parece: um casal jovem e saudável que transa três vezes por semana pode levar até um ano para engravidar.

Leia também:
Os mitos da relação entre posição sexual e gravidez
O que pode e o que não pode na gravidez

    Leia tudo sobre: gravidez