Implantes de marca alemã deverão ser retirados; não há registros de que modelo tenha sido comercializado no Brasil

O Instituto Federal de Medicamentos e Dispositivos Médicos alemão (BfArM), órgão equivalente à Anvisa no Brasil, comunicou à Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica problemas nas próteses de silicone da marca TiBreeze. Segundo a entidade, os implantes teriam sido fabricados pela empresa alemã GFE Medizintechnik GmbH, mas preenchidos na França pela empresa PIP com silicone industrial.

Tendo em vista as novas informações, as autoridades do país recomendaram que mulheres que tenham próteses dessa marca retirem os implantes mamários mesmo sem sinais de rompimento, assim como já havia sido feito com as marcas PIP (francesa) e Rofil (holandesa).

A empresa afirmou que foram produzidas 728 próteses, distribuídas na Bélgica, Itália, Finlândia, África do Sul, Suíça, Inglaterra e Áustria. A companhia afirma, no entanto, que a maioria dos implantes foi vendida no mercado interno.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.