O problema é típico da menopausa. Mas o período é duas vezes mais longo do que se acreditava, aponta pesquisa americana

As ondas de calor são bastante comuns, causando angústia a um número expressivo de mulheres
Thinkstock/Getty Images
As ondas de calor são bastante comuns, causando angústia a um número expressivo de mulheres
As ondas de calor que geralmente ocorrem durante e após a menopausa podem durar, em média, mais de 10 anos - período duas vezes mais longo do que acreditava-se até então - é o que mostra um novo estudo americano.

A pesquisa, publicada no periódico científico Obstetrics and Gynecology, também revelou que mulheres que começam a passar por ondas de calor antes ou logo no início da menopausa passarão por este desconforto por ainda mais tempo.

“As ondas de calor são bastante comuns, causando angústia e incômodo a um número expressivo de mulheres, e elas começam mais cedo do que acreditávamos”, disse Ellen Freeman, da Escola de Medicina da Universidade da Pensilvânia e autora do estudo.

Leia também: Mitos e verdades sobre reposição hormonal

A equipe de pesquisa acompanhou um grupo de 400 mulheres nas faixas de 30 e 40 anos a partir de 1995. Durante os 13 anos seguintes, as mulheres foram entrevistadas anualmente, respondendo a perguntas sobre saúde pessoal, incluindo os sintomas de menopausa.

Apenas 55% delas se mantiveram livres das ondas de calor durante todo o período de estudo. Um total de 90 mulheres passou por ondas suaves enquanto que as 259 restantes relataram a ocorrência de ondas moderadas ou severas em pelo menos uma das entrevistas.

Dentre aquelas que relataram a ocorrência de ondas de calor, tais sintomas duraram em média 11 anos e meio. Ondas especificamente moderadas ou severas duraram 10 anos em média. E o problema foi mais duradouro em mulheres que começaram a passar pelo desconforto mais cedo, mesmo antes do início da menopausa. Mulheres de raça negra e de peso normal também relataram a ocorrência de ondas de calor moderadas ou severas com mais freqüência do que as de raça branca e obesas.

Importante: 12 passos para uma menopausa saudável

Os pesquisadores não conseguiram detectar a causa de tantas variações de tempo em relação ao início das ondas de calor. Mas, uma coisa parece certa: elas podem durar por muito tempo.

“Acreditava-se que a ocorrência de ondas de calor se estendesse por quatro ou cinco anos”, disse Rebecca Thurston, pesquisadora dos sintomas da menopausa da Universidade de Pittsburg que não participou do novo estudo.

Outras descobertas:
Antidepressivo pode reduzir calores da menopausa
Dores musculares podem estar ligadas à menopausa
Estudo mostra ligação entre fumo e câncer de mama após menopaus
a

“Parte do problema é que não acompanhamos as mulheres por tempo suficiente, ou ainda deveríamos ter iniciado o acompanhamento mais cedo para termos uma estimativa da duração dos sintomas”, disse ela à Reuters Health.

As descobertas levantam a questão de quais seriam os melhores tratamentos para as ondas de calor, já que os mesmos podem ser necessários por muitos anos.

Ao observar que muitas mulheres acabam encontrando suas próprias formas de lidar com o problema, Thurston complementou: “Precisamos de tratamentos mais seguros e eficazes que possam ser aplicados durante este longo período”.

Para uma menopausa tranquila:
Soja é aliada da menopausa
Meditação e relaxamento ajudam a aliviar calores da menopausa
Um cardápio para cada etapa da vida
Em paz com a menopausa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.