Crença de que a prática deixará os seios flácidos e caídos atrapalha as chances de sucesso, diz estudo

Amamentação: mulheres com silicone falham mais, diz estudo
Getty Images
Amamentação: mulheres com silicone falham mais, diz estudo
Mulheres com implantes mamários que pensam que o aleitamento muda o aspecto dos seios são menos propensas a amamentar seus bebês com sucesso, de acordo com um novo estudo.

Leia: Dossiê amamentação

Pesquisadores da Sociedade Americana de Cirurgiões Plásticos (SACP) apontou que o número de gestações uma mulher tem – e não se ela amamenta o bebê – é o que faz com que os seios fiquem mais flácidos e caídos ao longo do tempo.

“Se uma mulher acredita que o aleitamento poderá afetar negativamente a aparência da própria mama, ela diminui suas chances de sucesso da amamentação”, disse Norma Cruz, uma das autoras da pesquisa.

Leia: Mães interrompem amamentação mais cedo por falta de orientação

“Esta ideia equivocada é lamentável. É de vital importância informar às mulheres que o aleitamento materno não vai prejudicar a aparência de mama, e que a prática tem vantagens significativas para a saúde da mãe e do bebê”.

Os pesquisadores estudaram os hábitos de amamentação de 160 mães com implantes mamários. Eles descobriram que 86% das 97 mães que falharam em amamentar pensavam que a prática iria piorar o aspecto das mamas. Os pesquisadores observaram que este pensamento teve um impacto direto sobre o sucesso delas em amamentar seus bebês.

Por outro lado, de 63 mulheres estudadas que exclusivamente amamentaram seus bebês por duas semanas ou mais, apenas 13% acreditavam que isso prejudicaria o aspecto dos seios.

“Faz sentido que mulheres com implante de mama se preocupem com o efeito da amamentação sobre a aparência dos seios, afinal, elas investiram tempo e dinheiro neles”, disse Cruz, que também é cirurgiã e membro da SACP.

“No entanto, as evidências disponíveis nos dizem que, embora os seios ‘caiam’ mais com cada gravidez , a amamentação não parece agravar estes efeitos em mulheres com ou sem implantes de mama”.

Os resultados são preocupantes, dizem os pesquisadores. Segundo o Departamento de Saúde dos EUA voltado para a saúde feminina, a amamentação ajuda a fortalecer o vínculo entre mãe e filho e está ligada a uma série de benefícios à saúde para as mulheres, incluindo menor risco de diabetes do tipo 2, câncer de mama , câncer de ovário e depressão pós-parto . A agência acrescenta que o leite materno, para os bebês, ajuda a formar o sistema imunológico, responsável por combater doenças.

“Agora que conhecemos como as mulheres com implantes mamários vêem o impacto da amamentação no aspecto dos seios, é preciso informá-las e educá-las melhorar essa percepção e fortalecer a saúde da mãe e da criança", conclui Cruz.

O estudo deve ser apresentado esta semana na conferência anual da Sociedade Americana de Cirurgiões Plásticos, em Denver (EUA). Os pesquisadores alertam que os dados e conclusões do estudo devem ser vistos como preliminares até que ele seja publicado em uma publicação científica.

Siga lendo sobre o tema:
10 motivos para amamentar seu bebê
Vale a pena persistir na amamentação?
Refluxo em criança pode ser amenizado com amamentação correta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.