Elas têm 5 vezes mais chance de abandonar aleitamento exclusivo

Parceria: Companheiro incentiva aleitamento
Getty Images
Parceria: Companheiro incentiva aleitamento
Mais uma pesquisa acaba de reforçar que os pais não são figuras secundárias na saúde dos filhos. Médicas da Fundação Oswaldo Cruz avaliaram 1.057 mães de crianças recém-nascidas. As participantes do estudo sem companheiros apresentaram chance 5,32 vezes maior de introduzir leite artificial no cardápio dos pequenos antes de completarem seis meses de vida o que, segundo os pediatras, compromete o desenvolvimento e dificulta o vínculo materno com o bebê.

A melhor rotina de amamentação entre as que contam com o apoio do marido ou namorado é mais creditada ao beneficio da parceria do que ao matrimônio em si. Segundo as autoras, as mamães têm mais apoio social, econômico, emocional e educacional do outro e podem reservar mais tempo para o aleitamento.

Casadas ou não, o estudo ressalta o alto índice de desistência do leite materno como alimentação exclusiva antes do período adequada: 44% contrariaram as recomendações dos especialistas, desistiram do peito e adotaram as fórmulas industriais do alimento (caixinha ou pó). As conclusões estão publicadas na edição de setembro da Revista Brasileira de Epidemiologia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.