Anatomia diferente da masculina e prática de esportes de impacto aumentam as chances de problemas nessa região do corpo da mulher

Anatomia e aumento da prática esportiva de impacto deixam os joelhos vulneráveis
Thinkstock/Getty Images
Anatomia e aumento da prática esportiva de impacto deixam os joelhos vulneráveis
Os joelhos femininos são mais vulneráveis às lesões do que os masculinos. Algumas razões anatômicas apontam para isso. “A mulher tem o quadril mais largo e menos força muscular, influenciando diretamente nessa região do corpo”, diz Ricardo Nahas, ortopedista e médico do esporte do Centro de Referência em Medicina do Esporte do Hospital 9 de Julho, de São Paulo. Além disso, ela está se envolvendo mais em esportes de impacto.

“Os joelhos femininos tendem a ser problemáticos porque, na maioria dos casos, são do tipo valgo. Isto é, ligeiramente virados para dentro. Essa postura aumenta as chances de lesões como a condromalacia, um desgaste da cartilagem entre o fêmur, o osso da coxa, e a patela. O joelho valgo força essa cartilagem”, explica o ortopedista Rene Abdalla, responsável pelo Instituto do Joelho HCor, em São Paulo.

O deslocamento da patela é outra lesão que acomete mais o sexo feminino: são sete mulheres para cada homem com o problema. Tido como um mal genético, ele faz com que esse ossinho em forma de pirâmide tenha maior probabilidade de sofrer luxação.

Problema no joelho rende 107 mil afastamentos do trabalho por ano

O fato de a mulher ter assumido um novo perfil esportivo nos últimos tempos também vem contribuindo para o aumento das enfermidades. “Antes as mulheres praticavam mais o handebol e o vôlei. Agora participam de modalidades de maior impacto como futebol e corrida de aventura - e de maneira bem mais competitiva”, argumenta o médico do HCor.

No dia a dia, até o uso excessivo de salto alto poderia colaborar para a maior fragilidade dos joelhos. “Esse tipo de calçado faz com que a mulher transfira o seu centro de gravidade, podendo forçar mais a frente dos joelhos e assim favorecendo a condromalacia”, diz Ricardo Nahas.

Para que você não seja obrigada a abdicar de sua atividade física ou sofra com dores e limitações, é preciso alguns cuidados.

A maneira de prevenir boa parte dos problemas é preparar o corpo. “Procure equilibrar o trabalho aeróbico e o de resistência (musculação). E não fuja dos alongamentos”, sugere o ortopedista do Hospital 9 de Julho. O aquecimento antes do início da atividade física também é benéfico para as articulações, lembram os especialistas.

Por fim, dê atenção aos calçados. Eles precisam de um bom sistema de amortecimento para absorver o impacto, minimizando o trabalho dos joelhos. “O ideal é escolher um modelo específico para o esporte que será praticado”, completa Rene Abdalla.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.