Porcentagem de casos por alimentos consumidos em casa é maior do que em restaurantes e lanchonetes

Cozinha: manter a pia sempre limpa e seca ajuda a evitar o problema
Getty Images
Cozinha: manter a pia sempre limpa e seca ajuda a evitar o problema
“Acho que foi alguma coisa que eu comi”. Quantas vezes você já não disse essa frase ao apresentar diarréia, vômito, dor de cabeça ou náusea, os principais sintomas da intoxicação alimentar? No entanto, se engana quem pensa que está mais propenso a ter algum problema porque tem o hábito de comer em restaurantes e lanchonetes. Segundo dados do Ministério da Saúde, 45% das intoxicações alimentares são originadas pelo consumo de alimentos preparados em casa.

Só em São Paulo, um em cada três surtos registrados no Estado de 1998 a 2008 estão relacionados a essa situação e 50% dos casos analisados foram causados por bactérias como a Salmonella, presente em alimentos de origem animal, como o ovo, o leite e a carne. Entre os surtos de diarréia aguda causada por Salmonella, 35% estão relacionados ao consumo de ovos crus ou mal cozidos. Outros 16% foram causados por bolos e doces, 11% por tortas, salgados e lanches, e 9% pela ingestão de carnes e aves.

Higiene e atenção

Cuidado nunca é demais ao preparar ou consumir uma refeição, já que há sempre uma ou outra dica que acaba esquecida. Na hora de fazer o almoço ou o jantar, por exemplo, além de lavar e separar os alimentos, não é aconselhável utilizar a mesma faca em diferentes ingredientes. Além disso, não basta colocar frutas e verduras imersos em água e vinagre, já que essa mistura não mata microrganismos. Nesses casos, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) recomenda uma solução de água e hipoclorito de sódio ou água sanitária.

E sabe aquele almoço de domingo que começa às 12h e só termina às 15h? Esqueça. Os alimentos não devem ficar mais de duas horas em temperatura ambiente, alerta a secretaria de saúde de São Paulo. Portanto, comida deve sair do fogão para o prato e o que sobrou direto para a geladeira ou para o congelador. Medidas simples como essas podem evitar problemas mais tarde.

O que fazer

Apesar de serem comuns, intoxicações alimentares sempre inspiram cuidados e deve-se ficar atento aos sintomas apresentados. “Em geral, as pessoas têm vômito, ou diarréia, mas logo estão bem. A recomendação, nesses casos, é muita hidratação”, indica Maria do Carmo Friche Passos, gastroenterologista e professora adjunta do departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). A água de coco pode ser uma boa aliada nessa hora, combinada com uma dieta leve, com pouca fritura ou gordura. “Um arroz branco com batata ou um chá com torradas ajudam na recuperação. O ideal é evitar presunto, queijo, ou outros alimentos mais fortes. Se a pessoa estiver na praia, também deve evitar o sol”, aconselha a médica.

Caso os sintomas sejam acompanhados de fraqueza intensa ou febre, o recomendado é procurar um médico imediatamente. “Quando a diarréia estiver muito frequente e intensa, a pessoa pode desidratar rapidamente e ficar debilitada”, alerta Maria do Carmo.

Evite a intoxicação alimentar seguindo essas dicas:

Lave sempre as mãos antes de preparar ou comer alimentos e quando utilizar o banheiro ou ao chegar da rua

Lave bem frutas e verduras com água potável. Em seguida, faça uma higienização com hipoclorito de sódio ou água sanitária. Atenção: vinagre doméstico não mata os microrganismos, ajuda apenas a despregar sujeiras

Evite preparar alimentos se estiver doente, você pode contaminar outras pessoas

Separe os alimentos durante a preparação: os lavados e desinfetados de um lado e os que ainda serão preparados do outro. Não utilize a mesma faca durante a preparação dos mesmos

Não descongele alimentos em temperatura ambiente (deixe-os dentro da geladeira) e consuma-os em cinco dias

Não deixe alimentos cozidos por mais de duas horas em temperatura ambiente

Cozinhe, asse ou frite muito bem carnes bovinas, suínas, aves, peixes, ovos e outros produtos de origem animal

Lave com água e sabão os utensílios e a superfície da pia

Cuidado com os utensílios de madeira, como colheres de pau e tábuas de carne. Após a utilização, lave-os com água e sabão e deixe-os secar bem. Se apresentarem ranhuras, riscas ou trincas, jogue-os fora, pois isso dificulta a limpeza

Limpe periodicamente a geladeira, o freezer e o micro-ondas

Não cubra as prateleiras da geladeira com panos ou toalhas, pois elas impedem a circulação do ar frio

Lave latas e garrafas de refrigerante ou outras bebidas com água e sabão antes de colocá-las no refrigerador

(Fontes: ANVISA e Secretaria de Saúde de São Paulo)

Leia também:

Questionário ajudará a mapear diarreia no Guarujá-SP

PM muda hábitos em razão de surto de diarreia no Guarujá-SP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.