Mulheres mais velhas estão propensas a dar à luz bebês maiores, enquanto recém-nascidos menores são mais comuns entre jovens

Quanto mais velha a mulher, maior o tamanho do seu bebê, diz pesquisa
Getty Images
Quanto mais velha a mulher, maior o tamanho do seu bebê, diz pesquisa
A descoberta foi feita por pesquisadores holandeses. Estudos anteriores já haviam demonstrado uma possível relação entre a idade da mãe e o peso do bebê ao nascer, assim como possíveis consequências para a saúde quando o recém-nascido é muito pequeno ou muito grande.

Os bebês que apresentam um crescimento abaixo do esperado na fase uterina correm maiores riscos de sofrer complicações no parto, assim como de desenvolver diabetes e problemas cardíacos quando adultos. Recém-nascidos muito grandes estão mais propensos a se tornarem obesos .

Tal constatação pode ser especialmente relevante, já que as mulheres estão tendo filhos cada vez mais velhas no mundo ocidental . Por exemplo, de acordo com um estudo do Pew Research Center de 2010, o percentual de bebês americanos nascidos de mães com mais de 35 anos de idade passou de 9% em 1990 para 14% em 2008.

A equipe de pesquisa liderada por Rachel Bakker, do Erasmus Medical Center de Rotterdam, Holanda, analisou 8.568 mulheres holandesas que deram à luz entre 2002 e 2006.

A média de peso dos recém-nascidos foi de 3,5 kg. Segundo definiram os pesquisadores, o peso de um bebê “pequeno” está abaixo 2,5 kg enquanto que o bebê “grande” tem peso acima de 4,5 kg.
No total, um em cada 20 recém-nascidos foi considerado pequeno, e um em cada 20 foi considerado grande.

Comparadas ao grupo de mães com idade entre os 30 e os 35 anos, as mulheres abaixo dos 25 anos apresentaram maior tendência a dar à luz a bebês pequenos. Por exemplo, aproximadamente 4% do grupo de mulheres mais velhas teve bebês pequenos, comparado aos 7% do grupo de mulheres abaixo dos 20 anos.

Por outro lado, mães mais velhas se mostraram mais propensas a ter bebês maiores, disseram os pesquisadores à revista especializada British Journal of Obstetrics and Gynecology. O risco de ter um bebê grande foi de 3% entre as participantes mais jovens do estudo, de 6% no grupo de mulheres entre os 30 e os 35 anos e de 10% entre as mães acima dos 40.

No caso das mães mais jovens, a relação entre a idade e o risco de dar à luz a um bebê pequeno foi principalmente devido a fatores sociais (como etnia, nível acadêmico e número de partos anteriores) e ao estilo de vida (como alimentação , tabagismo e consumo de alcóol ).

Nos outros grupos etários, fatores sociais – mas não aqueles relacionados ao estilo de vida – poderiam também explicar por que as mulheres mais jovens apresentaram maior tendência a ter bebês menores.
Mas, nenhum destes fatores pode explicar por que o risco de ter um bebê grande foi maior entre as mulheres mais velhas.

As descobertas sugerem que outros fatores relacionados ao organismo feminino poderiam desempenhar um papel importante. Entretanto, os pesquisadores ainda desconhecem tais aspectos.
Bakker observou que deve haver outros fatores envolvidos que não foram considerados no estudo. Ela também ressaltou que pesquisas complementares serão necessárias para clarificar a extensão dos possíveis efeitos.

Segundo os pesquisadores, as descobertas não significam que somente a idade da mãe determina o tamanho do bebê. Outros fatores relacionados à ela poderiam também afetar o tamanho do recém-nascido - como o peso, tabagismo, consumo de álcool e número de partos anteriores.

A pesquisadora disse à Reuters por e-mail que ainda não estão disponíveis informações suficientes para “aconselhar às mulheres sobre a idade ideal para dar à luz”.

* Por Lynne Peeples

    Leia tudo sobre: gravidez
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.