Estudos mostram que problemas aumentam o risco de parto prematuro

Dentes: eles são esquecidos durante a gravidez
Getty Images
Dentes: eles são esquecidos durante a gravidez
Ginecologista, cremes contra estrias, roupas mais largas. Quarto do bebê, nome que combina melhor, contas e tantos “etc” que a lista de pendências da mulher grávida ganha quilômetros de extensão.

Quase sempre, é verdade, a boca é esquecida. A visita ao dentista passa em branco e problemas graves para a gestação ficam mais próximos.

A importância da saúde bucal das futuras mamães é tanta que elas foram o foco do Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo (Ciosp), realizado no último final de semana na capital paulista. Entre os temas apresentados, a pesquisadora da Universidade Federal de Juiz de Fora, a dentista Thalita Miana, abordou que problemas simples na boca, como gengivites e cáries, podem até aumentar os riscos de parto prematuro e baixo peso da criança ao nascer.

“Acompanhamos 88 gestantes de Minas Gerais”, afirmou Thalita. “Do total, 95% delas tinham cáries e 83% alguma doença periodontal (inflamações e infecções)”, conta a dentista.

Todas as gestantes receberam tratamento dentário e isso preveniu que elas entrassem para o grupo já mapeado por diversas pesquisas nacionais e internacionais. Um dos estudos, publicado no Journal of Periodontology, por exemplo, atestou que quando as mães têm problemas bucais não tratados os riscos dos bebês nascerem antes dos nove meses ou com menos de 2,5 quilos – o que aumenta as complicações de saúde das crianças – é amplificado em até 7,5 vezes (trabalho comparativo entre um grupo de 48 mulheres sem doenças na boca com um outro de mesmo número, porém com doenças bucais).

Hormônios e hormônios

Segundo os ortodontistas, durante a gravidez, as mulheres ficam mais vulneráveis aos problemas da boca por causa do aumento das quantidades de hormônios. Além disso, explicam os especialistas, na gestação também há um decréscimo da capacidade gástrica, espécie de “suco” que ajuda na digestão (daí o aumento de enjôos e náuseas). Isso faz com que os esmaltes dos dentes fiquem ainda mais prejudicados, abrindo caminho para as cáries.

Artur Cerri, estomatologista e professor da Universidade de São Paulo, diz que estes problemas bucais por vezes provocam mau hálito, sendo essa uma das razões para o afastamento entre os casais durante a gestação. Segundo ele, mais uma evidência da importância de cuidar da boca na gestação.

Segundo as normas do Ministério da Saúde, as visitas ao dentista não fazem parte do protocolo exigido no pré-natal. Ainda assim, a dentista Thalita reforça que os médicos e enfermeiras precisam alertar as mulheres para a importância de cuidar da boca.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.