Crianças expostas ao cigarro durante gestação têm mais propensão a problemas psiquiátricos

Cigarro na gravidez: um perigo para a saúde e para o psicológico da criança
Getty Images
Cigarro na gravidez: um perigo para a saúde e para o psicológico da criança
Que fumar durante a gravidez aumenta o risco do bebê nascer com problemas respiratórios, infecções auditivas e asma já não é novidade. No entanto, pesquisadores da Universidade de Columbia, em Vancouver, no Canadá, descobriram que fumar durante a gestação pode trazer problemas psiquiátriacos e aumentar a necessidade de medicamentos psicotrópicos na infância e na adolescência.

Estudos recentes mostram que fumar durante a gravidez pode interferir no desenvolvimento cerebral e no crescimento do feto. A descoberta foi realizada pelo pediatra Mikael Ekblad, da Turku University Hospital, na Finlândia.

O médico e sua equipe coletaram informações de todas as crianças nascidas na Finlândia de 1987 a 1989 e acompanharam durante 10 anos arquivos de mães de pacientes com problemas psiquiátricos e crianças que utilizassem drogas psiquiátricas. Os resultados mostram que 12% dos jovens do País usaram drogas psiquiátricas e, desses, 19% foram expostos ao cigarro durante o pré-natal.

Adolescentes expostos ao fumo durante a gestação figuravam no grupo de uso intenso de psicotrópicos, especialmente aqueles utilizados para tratar depressão, déficit de atenção, hiperatividade e vício em comparação com jovens não-expostos. O estudo foi apresentado na reunião anual da Sociedade Acadêmica de Pediatria.

A taxa de medicamento psicotrópico utilizado era maior em jovens que as mães fumavam mais de dez cigarros por dia enquanto estavam grávidas (16%), seguido de jovens que as mães fumavam menos de 10 cigarros (14%) e jovens não expostos (11%).

    Leia tudo sobre: gravidez
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.