Jean-Claude Mas responde por acusações de lesão corporal e voltou à prisão por não pagar fiança, disseram autoridades francesas

O francês que provocou pânico generalizado na saúde global ao vender próteses mamárias fora dos padrões sanitários, Jean-Claude Mas, voltou a ser preso por não pagar fiança, afirmou uma fonte judicial nesta quarta-feira.

Leia: Quem é Jean-Claude Mas, o dono da PIP

Jean-Claude havia sido libertado pela polícia em 27 de janeiro com fiança no valor de 100 mil euros e proibido de deixar o país e de encontrar com ex-executivos de seu empresa, agora extinta, Poly Implant Prothese (PIP).

Ele responde por acusações de lesão corporal, apesar de não estar sendo investigado pela acusação mais grave, de homicídio culposo. A fonte judicial disse que ele foi preso na noite de segunda-feira.

Autoridades francesas têm sido alvo de críticas pela reação lenta ao caso que atemorizou dezenas de milhares de mulheres que têm os implantes. Inspetores franceses retiraram o produto do mercado em março de 2010 por causa de preocupações com a sua qualidade.

Enteda o caso das próteses francesas PIP

Apenas em dezembro, porém, autoridades em Paris recomendaram a remoção cirúrgica, atraindo atenção para os problemas de pacientes no mundo inteiro, inclusive no Brasil, que utilizaram o produto da companhia, que já foi a terceira maior fornecedora de próteses do mundo.

Advogados das mulheres que registraram queixas na França por causa das próteses da PIP elogiaram a prisão e disseram que Jean-Claude não deve escapar da Justiça. Ele teria ridicularizado as pessoas que o estão processando, dizendo que elas estariam apenas motivadas pelo dinheiro.

* Por Jean-François Rosnoblet

Siga lendo:
Malhação e silicone: o que pode e o que não pode
Implantes mamários não duram a vida toda, alertam especialistas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.