Revisão de estudos mostrou, no entanto, que método não evita infecção pelo HPV

DIU: usuárias estão mais protegidas do câncer de colo de útero, concluiu pesquisa
Getty Images
DIU: usuárias estão mais protegidas do câncer de colo de útero, concluiu pesquisa
Dispositivos intra-uterinos (DIU) podem reduzir o risco de câncer cervical em mulheres, sugere um novo estudo.

"Nossos dados sugerem que o uso do DIU reduz significativamente o risco de câncer de colo do útero e que este efeito não parece ser devido a diferenças nas histórias de triagem entre as usuárias e não usuárias", disseram os pesquisadores espanhóis que coordenaram a pesquisa.

Leia: Quem pode usar DIU?

Embora o estudo tenha observado essa aparente associação entre o uso de DIU e o risco de câncer cervical, ela não provou uma relação de causa e efeito, esclarecem os cientistas.

O estudo, publicado esta semana na versão online do periódico médico The Lancet Oncology, afirma que, embora o DIU não tenha afetado o risco das mulheres para a infecção pelo HPV (papilomavírus humano) – o vírus que causa o câncer cervical – os dispositivos de plástico inseridos no útero podem ajudar a evitar que a infecção pelo HPV evolua para o câncer cervical.

Leia: Metade dos homens tem HPV, diz pesquisa

Na condução do que eles chamaram de “o maior estudo epidemiológico até o momento”, pesquisadores do Instituto Catalão de Oncologia, na Catalunha, Espanha, examinaram 26 estudos prévios envolvendo mais de 20.000 mulheres que foram seguidos por uma década.

O uso de dispositivos intra-uterinos, mostrou a pesquisa, foi associado a um risco menor para dois dos tipos mais prevalentes de câncer de colo do útero por até 10 anos. Mulheres que usaram DIU tiveram um risco 44% mais baixo para carcinoma de células escamosas ou um risco reduzido de 54% para o carcinoma adenoescamoso, disse o estudo.

O tempo de uso do DIU não teve impacto sobre o risco para a doença, disseram os pesquisadores. Como hipótese para explicar a proteção constatada na revisão de estudos, os médicos sugerem que inserir ou remover o dispositivo pode destruir lesões pré-cancerosas ou provocar uma resposta imune de longo prazo, que ofereceria proteção contra a progressão da infecção por HPV.

O DIU é um método seguro e popular de controle de natalidade em todo o mundo, mas muitas mulheres têm medo de usá-lo por conta de um modelo antigo que gerava problemas de saúde significativos, incluindo a infertilidade . O modelo, conhecido como escudo Dalkon, foi retirado do mercado ainda na metade da década de 70.

Veja mais dúvidas sobre contracepção:
Tenho 40 anos, devo evitar pílula anticoncepcional?
O anel contraceptivo tem efeitos colaterais?
Amamentar impede nova gestação?

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.