Estudo mostra que portadoras das duas doenças têm risco de morte 2,7 vezes maior

Estudo mostra que mulheres diabéticas e depressivas correm duas vezes mais risco de morrer do coração
Getty Images
Estudo mostra que mulheres diabéticas e depressivas correm duas vezes mais risco de morrer do coração
Novo estudo aponta que mulheres diabéticas que sofrem de depressão correm risco de morte duas vezes maior, principalmente por problemas cardíacos.

“São duas grandes pragas”, disse o Dr. Frank B. Hu, professor de medicina da Harvard Medical School e principal autor do estudo.

O estudo coletou dados de 78.282 mulheres, entre os 54 e os 79 anos de idade, no ano 2000 - todas elas participantes da pesquisa Nurse’s Health Study.

Durante seis anos de acompanhamento, os investigadores constataram que um total de 4.654 mulheres faleceu, sendo 979 por doenças cardiovasculares.

As diabéticas apresentam risco de morte 35% mais alto, enquanto aquelas com depressão tiveram aumento de 44% nos riscos, comparadas às mulheres que não sofriam nenhum dos dois problemas.

Ao analisar somente as mortes causadas por problemas cardíacos, a equipe de Hu constatou que as diabéticas tiveram um aumento de 67% nos riscos de morte, enquanto que aquelas com depressão tiveram riscos de morte 37% mais altos. Mas, as mulheres que sofriam dos dois problemas tiveram um risco 2.7 vezes maior de morte por problemas cardíacos. A chamada "dor de amor" ou do "coração partido" já são considerados gatilhos do infarto do novo século .

Explicação

Quando as pessoas são acometidas pelos dois problemas, tal condição pode levar a um “círculo vicioso”, disse Hu. “Os diabéticos são mais propensos à depressão, pois estão sob estresse psicológico em longo prazo, problema associado às complicações do diabetes”. No Brasil, uma pesquisa nacional também ligou o diabetes à depressão , ao concluir que 16% dos portadores do problema metabólico são depressivos.

Hu ressaltou que é importante lidar tanto com o diabetes quanto com a depressão para diminuir os riscos de morte. “É possível que os dois problemas não somente exerçam influencia entre si biologicamente, mas também em termos comportamentais”, disse ele.

Segundo os pesquisadores, o diabetes do tipo 2 e a depressão geralmente estão relacionados a um estilo de vida pouco saudável, que inclui hábitos como o tabagismo, uma má alimentação e a falta de exercícios físicos. Além disso, a depressão pode ocasionar mudanças no sistema nervoso que prejudicam o coração.

O relatório foi publicado na edição de janeiro do Archives of General Psychiatry.

Steven Reinberg

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.