Novo estudo aponta que ela pode inclusive ajudar a reduzir os riscos de reincidência da doença

alt
na pesquisa" /
Getty Images
Tofu: um dos alimentos de soja estudados
na pesquisa
Para quem já enfrentou um câncer de mama é comum o temor de que os alimentos à base de soja irão aumentar os riscos de reincidência da doença, mas uma nova pesquisa sugere que tais temores são infundados.

“Não encontramos nenhuma evidência de que a ingestão de soja após um câncer de mama aumente o risco de reincidência ou morte causada pela doença”, disse a Dr. Xiao Ou Shu, professora de epidemiologia e medicina do Vanderbilt University Medical Center, de Nashville (EUA).

Leia: De grão em grão contra a osteoporose

“Nosso estudo indicou que os alimentos à base de soja são seguros para pessoas que já sofreram um câncer de mama, podendo mesmo reduzir os riscos de reincidência”, disse a especialista, enfatizando que o estudo analisou alimentos, como o tofu ou soja em grãos, e não os suplementos de soja .

A pesquisa deve ser apresentada em Orlando este mês, durante o encontro anual da Associação Americana para a Pesquisa do Câncer. Os resultados de estudos apresentados em encontros médicos são considerados preliminares até serem publicados em um periódico especializado.

Para a pesquisa, foram avaliados os dados de 9.515 mulheres que participaram dos seguintes estudos sobre sobreviventes ao câncer de mama: Epidemiologia da Vida Pós-Câncer, Alimentação e Vida Saudável da Mulher (EUA) e Estudos dos Sobreviventes ao Câncer de Mama de Xangai (China).

Shu revisou informações sobre a ingestão de soja por meio de questionários aplicados às participantes. O tempo médio entre o diagnóstico do câncer de mama e a avaliação sobre a ingestão de soja foi de aproximadamente 14 meses.

Depois de sete anos e meio de acompanhamento, Shu encontrou 1.348 casos de reincidência de câncer de mama e 1.171 mortes causadas pela doença e por outros fatores.  Comparadas às mulheres que ingeriram a menor quantidade de soja, aquelas no grupo de 10% de ingestão de soja apresentaram um risco 35% inferior de reincidência.

O grupo que ingeriu maior quantidade de soja também apresentou uma redução de 17% no risco de morte por todas as causas durante a fase de acompanhamento do estudo. Entretanto Shu explica que os resultados não alcançaram significância estatística.

O consumo de soja foi considerado mais alto entre os grupos do estudo de Xangai do que entre os americanos. Qual, então, seria a quantidade de soja ideal?

“Uma xícara de leite de soja ou meia porção de tofu (56 gramas) por dia pode oferecer os níveis de isoflavona de soja semelhantes à quantidade ingerida pelo grupo de 10% do estudo da população americana”, ela explica.

“No passado, as mulheres que sobreviveram ao câncer de mama costumavam evitar alimentos à base de soja”, disse a Dra Marian Neuhouser, que faz parte do Fred Hutchinson Cancer Research Center, em Seattle.

Ela diz que o principal temor dos especialistas era de que a soja pudesse atuar como um fitoestrógeno mais fraco, sendo que a maior parte dos casos de câncer de mama é do tipo receptor de estrógeno positivo.

“Acho que este estudo, e também outro realizado anteriormente, apóia a idéia de que os alimentos à base de soja são seguros para mulheres com câncer de mama”, disse ela.

Leia: Saiba mais sobre a soja

A especialista também enfatizou que o estudo analisou alimentos, não suplementos à base de soja. Ela diz que a soja é uma ótima fonte de proteína com baixo teor de gordura, além de contribuir para uma alimentação saudável em geral – e padrões alimentares saudáveis estão relacionados à menor reincidência.

Neuhouser diz: “Um café com leite de soja não é o mesmo que um café com leite integral, que é o tipo que contém maior teor de gordura”.

* Por Kathleen Doheny

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.