Pesquisa mostra que ômega 3 de alguns peixes tem efeito protetor ao coração de mulheres em idade fértil

Peixe: incluí-lo no cardápio dá mais proteção ao coração da mulher jovem
Getty Images
Peixe: incluí-lo no cardápio dá mais proteção ao coração da mulher jovem
Comer peixes ricos em ômega 3, como o bacalhau e salmão, pode reduzir significativamente o risco doenças cardíacas em mulheres jovens, aponta uma nova pesquisa dinamarquesa.

Os pesquisadores descobriram que mulheres em idade fértil que nunca comem peixe têm 50% mais problemas cardiovasculares do que as que consomem peixe com frequência, e um risco 90% mais elevado do que mulheres que comem peixe semanalmente.

“Descobrimos que mesmo as mulheres que comem peixe apenas algumas vezes por mês se beneficiam disso”, disse a pesquisadora Marin Strom, aluna de pós-doutorado no Statens Serum Institute, em Copenhague (Dinamarca).

“A notícia é encorajadora para quem come peixe, mas é importante ressaltar: para obter o maior benefício desse alimento e de óleos de peixe, as mulheres devem come-lo como refeição principal pelo menos duas vezes por semana”, afirma Marin.

O estudo foi publicado na edição online do periódico médico Hipertensão, mas não mostra uma relação de causa e efeito entre o consumo de peixe e redução do risco cardiovascular, apenas uma associação.

Strom e sua equipe coletaram dados de cerca de 49.000 grávidas entre 1996 e 2008. Eles perguntaram às participantes quais peixes e o quanto comiam, esperando determinar se comer certos tipos de pescado ajudaria a reduzir o risco de doença cardiovascular . As mulheres, de idades entre 15 e 49 anos no início do estudo, também foram questionadas sobre seu estilo de vida e histórico médico familiar.

Ao longo de oito anos de estudo foram registrados 577 eventos cardiovasculares – como hipertensão, acidente vascular cerebral e doenças cardíacas. Cinco mulheres morreram de doença cardiovascular. No geral, mais mulheres que comiam pouco ou nenhum peixe foram hospitalizadas por doença cardiovascular do que as que tinham o hábito de consumir pescado, descobriram os pesquisadores.

Quando os pesquisadores avaliaram um subconjunto de mulheres em três ocasiões diferentes, o risco de doença cardiovascular foi três vezes maior para as que nunca comiam peixe do que para as que comiam peixes ricos em ômega-3 pelo menos uma vez por semana. O óleo de peixe contém ômega 3, um tipo de gordura que parece ser o fator de proteção contra doenças cardiovasculares.

“As melhores fontes de ômega 3 são os peixes gordos, como salmão, arenque, cavala e truta”, diz Marin.

Os peixes mais consumidos pelas participantes do estudo foram bacalhau, salmão, arenque e cavala. Mulheres que tomaram suplementos com óleo de peixe foram excluídas do estudo.

De acordo com a pesquisadora, estudos semelhantes no passado se concentraram em homens, não em mulheres.

“Até onde sabemos, este é o primeiro estudo desse porte que se concentra exclusivamente em mulheres em idade fértil", disse ela.

Os dois gêneros compartilham muitos dos mesmos fatores de risco para doenças cardiovasculares, mas alguns, tais como triglicérides e colesterol altos, podem ter efeitos mais importante nas mulheres, observou ela.

Gregg Fonarow, professor de cardiologia na Universidade da Califórnia, Los Angeles, disse que as descobertas são semelhantes às de outros estudos em mulheres mais velhas e em homens.

“Este estudo fornece mais dados para apoiar o fator cardioprotetor do ômega 3 na dieta.”

* Por Steven Reinberg

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.