Confira as dicas para ficar longe do "bode" natalino

Saiba como se livrar da depressão no período de festas
Getty Images
Saiba como se livrar da depressão no período de festas
Para muita gente Natal é sinônimo de casa cheia de familiares e de pessoas queridas. Durante a época de festas de fim de ano, é comum traçar novas perspectivas, projetar sonhos para o próximo ano e fazer um balanço do dos meses que ficaram pra trás. Embora o cenário seja de esperança e confraternização, para muitos pode significar tristeza e frustração. Perdas e ausências são remoídas e muitas pessoas costumam questionar algum revés vivido ao longo do ano de forma negativa e autodestrutiva.

O psiquiatra professor da Unifesp Acioly Lacerda explica que este período também pode tornar-se um cenário para lembrar e sofrer novamente a morte de uma pessoa querida. “É muito comum aumentar os casos de depressão ou agravamento da doença. A reunião de família torna-se cenário para lembrar e sofrer novamente pela morte de alguém querido”.

A ansiedade e a cobrança, lembra Acioly, geram um estresse que pode contribuir para o quadro depressivo. Thalita da Costa, 32, advogada diz que gostaria de “sumir do mapa” durante o período de festas. O pai faleceu vítima de câncer há alguns anos e ela não tem lembranças boas da infância ao lado dele. “Todo Natal era um sofrimento pra mim e para a minha mãe. Ele dizia que iria passar o dia comigo e prometia presentes, mas sempre sumia. Um dia eles se separaram e perdi o contato com ele. É uma época difícil”conta.

Outra característica comum desta época do ano, lembra a psicóloga Cláudia Aguiar, é a tendência a agir com mais rigidez em relação a si. “Não adianta tentar resolver todas as pendências de uma só vez. Agir com ansiedade poderá causar mais sofrimento”, aconselha. Outro conselho da psicóloga é incentivar a pessoa a enxergar as novas oportunidades que poderão se abrir com o próximo ano. “Sempre é bom olhar para o futuro com otimismo, sem deixar o realismo de lado. É preciso lembrar que para tudo há limites e sempre é possível aprender com os erros”.

Festa vazia

“Eu detesto Natal”. Assim começa a declaração da auxiliar de escritório Martha Ferreira, 29, sobre a data. Para ela, é tudo é uma chatice “cheia de rituais entediantes e frases feitas”. Filha de pais separados, Martha diz que as festas em sua casa sempre foram vazias e acabavam com a mãe comprando alguns quitutes natalinos, só para não passar a data em branco.

“Ela queria trazer um pouco do clima para a nossa casa, mas a gente sabia que no final sempre seria uma experiência infeliz.” Hoje, a auxiliar de escritório tem uma filha de dois anos e também não quer privar a criança do ritual. “Fica difícil fingir que o Natal e o Ano Novo não existem. Vou me esforçar por causa da minha filha. Por mim, faria qualquer outra coisa” confessa.

Para ajudar a combater a tristeza, vale modificar hábitos diários: realizar atividades físicas regulares ajuda a aumentar a sensação de bem-estar. Manter um período satisfatório de sono diário, ter uma boa alimentação e evitar o uso de substâncias como anorexígenos, álcool e tabaco também ajuda muito. Se a tristeza persistir ao período de festas, cuidado: é prudente procurar um médico. “O tratamento da depressão costuma combinar a psicoterapia e medicamentos, que evoluíram bastante nos últimos anos” explica Acioly.


Dicas para ficar longe da “deprê” do fim de ano:

- Não faça cobranças, afinal, não dá pra resolver uma vida inteira em poucos dias

- Caso exista algum conflito familiar, tente resolvê-lo sem ansiedade. Esta é uma época em que as pessoas estão predispostas a restabelecer vínculos

- Não estabeleça metas inatingíveis

- Seja otimista e abra-se para novas oportunidades

- Procure por pessoas que se sentem como você e troque experiências

- Comece uma atividade física

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.