A nutric?o funcional considera, acima de tudo, a saude e as necessidades individuais. Conheca um pouco mais desta filosofia

Andrea Santa Rosa, nutricionista funcional
Rafael Martins
Andrea Santa Rosa, nutricionista funcional

O iG conversou com Andrea Santa Rosa Garcia, uma das poucas nutricionistas clínicas funcionais no Rio de Janeiro – que também é esposa de um dos maiores galãs da TV, o ator Marcio Garcia. Ela conta como a moderna nutrição clínica funcional pode trazer benefícios à saúde da internauta.


Qual a principal diferença entre uma nutricionista clássica e uma nutricionista funcional?
Andrea Santa Rosa -
A nutricionista clássica se prende muito a calorias e a funcional analisa o indivíduo como um ser único, respeitando suas individualidades bioquímicas. Em cima de uma anamnese bem detalhada é feito um planejamento alimentar individualizado com alimentos antioxidantes, funcionais com o intuito de melhorar o organismo como um todo. Se necessário, suplementos são prescritos para melhorar o tratamento.

Quais os princípios básicos dessa tal de nutrição clínica funcional?
Andrea Santa Rosa -
São vários: individualidade bioquímica, ou seja, respeitamos as necessidades individuais, bem como sinais e sintomas apresentados pelo paciente; o tratamento centrado no paciente e não na doença, o que é o oposto da medicina tradicional; o equilíbrio nutricional e biodisponibilidade de nutrientes, dando importância à oferta de nutrientes em quantidades adequadas e em equilíbrio com todos os outros, para que haja otimização da sua absorção e aproveitamento pelas células. Temos ainda as inter-relações em teia de fatores fisiológicos, que é a visão de que todas as funções de nosso corpo estão interligadas e, se o nosso organismo não está funcionando adequadamente, irá promover desordens em diversos outros sistemas; por fim, a saúde como vitalidade positiva – ou seja, a saúde não é meramente a ausência de doença.

É um conceito mais utilizado no Brasil ou no exterior?
Andrea Santa Rosa -
A nutrição funcional é conhecida mundialmente. Nos EUA existe o instituto de Medicina Funcional (Institute of Functional Medicine) e, no Brasil, o Centro Brasileiro de Nutrição Funcional. Está crescendo muito.


Por que o seu trabalho é mais voltado para o indivíduo?
Andrea Santa Rosa -
Cada indivíduo tem necessidades nutricionais diferentes. De acordo com a nossa genética, com a carga tóxica a que estamos expostos, com o estresse em que vivemos, vamos precisar de mais ou menos nutrientes para modular os genes relacionados a doença.


Qual a vantagem prática, na dieta, de se prender aos alimentos em vez de se prender a calorias?
Andrea Santa Rosa -
O que adianta comer um alimento com quantidade calórica baixa se aquele alimento para o seu organismo não é saudável, podendo gerar uma sobrecarga no seu sistema imunológico, e posteriormente uma inflamação? Quando focamos nos nutrientes, qual seria o problema em ofertarmos açaí, que é um alimento antioxidante riquíssimo em antocianinas, que vai modular a inflamação do indivíduo e, como consequência, promover o emagrecimento?


Você teve um bebê recentemente e ficou magérrima bem rápido. Que receita seguiu?
Andrea Santa Rosa -
Faço uma dieta hipoalergênica e com alimentos antioxidantes, com isso meu organismo está funcionando adequadamente.

Você poderia dar algumas dicas especiais para a internauta, seguindo os princípios do nutricionismo funcional?
Andrea Santa Rosa -
Para evitar o envelhecimento precoce: inclua em sua dieta vinho tinto, açaí, abacate, omega 3, açafrão (curcumina). Para unhas e cabelos: ovo, carne magra, peixes, linhaça, soja. Para as grávidas: cortar alimentos alergênicos, suplementar com vitaminas e minerais, ômega 3 e taurina. Isso melhora a imunidade e o funcionamento do intestino. Se o objetivo é evitar doenças cardiovasculares: invista em ômega 3, aveia, azeite extra virgem, alho, vinho tinto. Para o emagrecimento: vá de açafrão (curcumina), ômega 3, gengibre, pimenta e prebióticos.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.