A pintora brasileira impressionista Raquel Taraborelli indica seus lugares favoritos

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=delas%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237496350970&_c_=MiGComponente_C

Entrar na casa de Raquel Taraborelli é transportar-se para um cantinho da Toscana, na Itália, um lugar calmo, florido, acolhedor e, claro, inspirador. Por entre um caminho de lindas plantas, ela aparece para receber quem chega com um sorriso e a voz calma, pausada, que solta frases certeiras como suas pinceladas.

A boa conversa, o pôr-do-sol, o café ou água fresca com limão siciliano fazem esquecer da agitação do mundo e querer ficar lá jogando conversa fora por muito tempo. Em seu ateliê, a sacola da livraria Barnes & Noble pendurada no porta-chapéus dá algumas pistas de por onde ela tem andando. E eram pistas verdadeiras! Mesmo avessa a entrevistas, ela nos disse quais os seus lugares favoritos ligados à arte e imaginou até um roteiro, com idéias para todos os gostos e disposições financeiras:

Eu começaria em Paris, com o Musée de l´Orangerie e o Musée d'Orsay , que têm muitas obras dos impressionistas. Depois passaria dois dias em Giverny, onde fica o Jardim de Claude Monet , e ali pelas redondezas. Se fosse para escolher a data, iria no final de maio, início da primavera, quando as papoulas já estão florindo. Sugiro ir até Giverny de trem e logo na chegada alugar uma bicicleta, ir até o jardim, que fica a uns cinco quilômetros de distância e depois arrumar um lugar para ficar em uma das casinhas pelo caminho, que têm quartos para alugar no estilo bed and breakfast . No mais, ficar em um café ao ar livre, deixar a vida passar, andar em parques públicos. Em Paris tem o Bois de Boulogne , com um jardim de rosas que fica todo florido em maio.

Depois tem São Paulo, onde eu passaria um dia no
MASP , aproveitando para ver a feirinha de antiguidades embaixo do museu. Almoçaria no Restaurante Stefano , onde vou desde que me conheço por gente para comer o melhor caneloni do Brasil. Passaria a tarde em Embu das Artes e finalizaria o dia com um café e croissant na calçada do Le Vin .

Se sobrasse algum dinheiro depois disso tudo, iria para Nova York. Intercalaria o
SoHo com o museu Metropolitan . Gosto muito do Central Park e de um outro lugar maravilhoso, que é o Jardim Botânico de lá, no norte da cidade, onde é possível chegar de trem. E aproveitaria para andar à toa, sem muito destino, apreciando as coisas ao meu redor .

Na saída, antes de nos despedirmos, ela corta algumas flores e faz um arranjo improvisado, mas belíssimo, para que saiamos levando um pedaço daquela beleza conosco e a vontade de voltar.

A arte de Raquel Taraborelli
Nascida em 1957 em Avaré, SP, vive e trabalha em Votorantim, SP. Ex-engenheira, fez do seu hobby seu trabalho e prazer externo. O incentivo maior foi em 1987, quando Pietro Maria Bardi (criador do MASP), como jurado no Salão de Artes Plásticas de Piedade, SP, concedeu-lhe uma medalha de ouro.

Sua fonte de inspiração vem da natureza, da beleza das flores e dos impressionistas, especialmente Claude Monet. Em suas pinceladas fragmentadas e justapostas há algo mais, algo mágico. Talvez a sobreposição de cores, a luz e sombra, a exaltação do simples, deixam na tela a impressão de momentos perfeitos.

Principais exposições
1999 Galeria de Arte André, São Paulo

2000 Peninsula allery, Lewes, Delaware, USA

2004 Baci ¿ Washington, DC, USA

2005 The National Arts CLub, New York, NY, USA
       Galeria Um Lugar Ao Sol, Curitiba, PR

2007 Nova André Galeria, São Paulo


Para saber mais sobre Raquel Taraborelli ou adquirir um quadro, visite o site oficial da artista ou da Nova André Galeria .

Nova André Galeria
Rua Estados Unidos, 2280
01427-002, São Paulo, SP
Tel/Fax: (11) 3081-6664, 3081-9697 e 3083-4887
E-mail: infoarte@galeriandre.com.br

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.