Embora a unanimidade aponte o antes como fator decisivo para o sucesso durante e depois da transa, ainda há dúvidas sobre como viver plenamente a tal prática mágica. Esclarecemos todas com um especialista!

Em uma enquete realizada em seu site, a Associação S.A.B.E.R. ¿ Saúde, Amor, Bem Estar e Responsabilidade ¿ constatou que 98% dos internautas acreditam que investir tempo nas preliminares melhora a qualidade do relacionamento sexual. Há muito tempo sabemos que a mulher deseja que o exercício da sexualidade não esteja focado apenas no ato sexual, no encontro de genitais. As mulheres esperam que os homens entendam que quando elas querem carinho isso não implica, necessariamente, em ter que fazer sexo. Para o universo feminino, as preliminares e o tempo pós-relação sexual são tão importantes quanto o durante, esclarece Gerson Lopes, médico, sexólogo e coordenador do Projeto Sexualidade com Qualidade da Associação S.A.B.E.R.

Se todos já sabemos da importância retumbante que as preliminares exercem sobre nossas vidas sexuais, como fazer o universo masculino entender também? Siga os conselhos do médico.

Como pedir?
Bruna*, 24, estudante de moda, namora há 5 meses o músico Rafael*, 26. O casal tem uma vida sexual ativa, porém, ela acredita que as transas poderiam ser mais satisfatórias se ele se dedicasse mais às preliminares. Sinto um certo afobamento no Rafa, e nossa transas acabam sendo rápidas. Não que seja ruim, mas nem sempre consigo ter o prazer que já tive com outros homens. Mas gosto muito dele e nos damos bem em todos os outros aspectos, conta. Ela diz que não pensa em terminar o namoro, mas não faz ideia de como tocar no assunto com o namorado. O que fazer?

O sexólogo responde
Bruna, você faz muito bem em não pensar em término, pois com o tempo vocês poderão estabelecer maior sintonia na relação sexual. Para isso é fundamental ser assertiva ¿ se valorizar e valorizar o outro ¿ dizendo o quanto as brincadeiras são importantes para você. Não sei se é o caso do seu namorado, porém alguns homens muito rápidos no jogo sexual (aqueles que gastam pouco tempo nas preliminares) atuam dessa maneira por medo de perder a ereção, mais do que por causa da tendência natural de dar mais importância ao coito em si. Acredito que com diálogo e tempo de relacionamento vocês se adequarão sexualmente, aconselha Gerson.

Se você está passando pela mesma situação, em um namoro ainda no início, não se precipite. Com o passar do tempo as conversas sobre sexo fluirão naturalmente ¿ mas você deve tocar no assunto!

Dá pra ficar só nas preliminares?
Em alguns casos, certas mulheres gostariam de ficar só nas carícias e não partir para a penetração, como conta Margarete*, 42, bancária, que se satisfaz plenamente com as preliminares e, na realidade, não gosta da penetração e só a faz para agradar o marido. Conversei algumas vezes com ele sobre o assunto, mas ele não consegue entender, desabafa. Margarete sente dores muito fortes durante a relação e por isso prefere permanecer apenas no antes. O seu marido não nega os carinhos, porém não sabe o que fazer para sanar o problema principal...

O sexólogo responde
Gerson diz: Se você continuar tendo coito (penetração) com dores, a tendência natural é você passar a evitar o sexo ou perder a vontade de fazê-lo (ninguém saudável gosta de sentir dor, não é mesmo?) e até deixar de sentir prazer com as carícias. Portanto, em primeiro lugar, tente descobrir junto ao seu ginecologista alguma causa orgânica dessa dor que chamamos de dispareunia (dis ¿ distúrbio e pareunos ¿ dor). A dispareunia pode ter também causa psicológica e então o ginecologista poderá encaminhá-la a um especialista, o terapeuta sexual ou sexólogo.

Sempre que o sexo (seu excesso, sua falta ou sua prática) causar danos físicos, é hora de procurar um médico. Urgente!

Quanto basta?
Rui*, 29, contador, sabe da importância das preliminares para as mulheres, porém não tem ideia de quanto é suficiente. Pergunte a qualquer homem, basta a ereção acontecer que, por nós, consumaríamos o ato!, diz. Segundo Rui, que namora Carla*, 28, personal trainer, ele não tem noção se agrada ou não a namorada em relação às preliminares, porque ela nunca reclamou. É, eu nunca perguntei se estava bom assim ou não. Estamos juntos há mais de três anos e o sexo é fantástico, mas como eu posso ter certeza que a quantidade de tempo gasta com as preliminares está sob medida?

O sexólogo responde
Segundo Gerson, nós nunca devemos fazer o que chamamos de leitura de pensamento ¿ adivinhar o que o outro pensa sem checar. O universo feminino é muito diferente do nosso. Todo homem deveria perguntar se a forma de fazer sexo, ou melhor, de ter intimidade, a agrada. Normalmente, coisas valorizadas pelo universo masculino, como coito ou penetração, ereção, quantidade e outras mais, não são importantes para a mulher. O tempo de preliminares varia muito para cada casal e até mesmo depende do momento ou circunstâncias que os dois estão vivendo. Em geral, ser carinhoso e criativo já é quase tudo de bom que a mulher espera. Às vezes, ela só quer as preliminares e ele teima em terminar com o coito e orgasmo. Outra coisa: a maioria delas gosta de fazer sexo quando está bem e não para se sentir bem, o contrário dos homens, completa o especialista.

Para Carla*, a namorada de Rui, o tempo suficiente varia. Não dá pra medir em minutos... Em alguns dias, estou com tanto tesão que poderia até dispensar as preliminares, em outros, preciso de muito tempo para me inspirar. O que os homens têm que aprender é a observar as nossas reações, assim tudo ficaria mais fácil, explica a personal trainer.

* Os nomes foram trocados a pedido dos entrevistados.

Leia mais sobre: preliminares

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.