Ao contrário do que reza o senso comum, nem todos os homens gostam de sexo anal ou de transar com garotas de programa. Conversamos com alguns deles para saber porque eles parecem ir ¿contra a corrente¿

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=ModeloiG%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237491687615&_c_=MiGComponente_C

Homem adora palavras picantes durante uma transa, não resiste a uma casa de prostituição, vive implorando para a namorada deixar que ele faça sexo anal e adora sexo oral, certo? Errado!

Não é fácil para a maioria admitir, afinal, lembrem-se: homens brasileiros ainda são muito machistas Até mesmo aquele seu amigo com pinta de moderninho guarda um resquício latino em algum cantinho de sua personalidade.

No entanto, alguns rapazes abriram seu coração e, em seus relatos para esta reportagem, disseram ter verdadeiro asco de sexo anal, que as prostitutas podem ser muito caricatas e que uma experiência fez com que um dos entrevistados adquirisse verdadeiro pavor de fazer sexo oral.

Eles não gostam de transar com prostitutas: O homem sabe que a prostituta está lá por dinheiro, e mesmo assim se ilude

Rogério* foi a dois inferninhos no centro de São Paulo para tirar um sarro. Ele resumiu a experiência como sem graça. Não gostei das músicas, a bebida era cara e as mulheres feias. Segundo o jornalista, de 29 anos, as mulheres se insinuam por dinheiro e os homens sabem disso. A mulher sempre vai fingir que está morrendo de prazer e é mentira na maioria das vezes, porque ela faz aquilo mecanicamente, não se envolve.

Ele lembra que só fez sexo com uma prostituta uma vez, na adolescência, e conta que foi muito ruim. Mesmo com camisinha, eu fiquei uns dois meses preocupado em ter pegado alguma doença. Ele fala que alguns amigos viciam no sexo com prostitutas e acabam se esquecendo de como cantar uma mulher com classe, pois se acostumam a pagar por prazer. Alguns saem com prostitutas pela certeza de não ter compromisso no dia seguinte, outros por pura dificuldade de se aproximar de alguém e de se envolver com esta mulher.

Já Leandro* é bastante taxativo ao tocar no assunto: O que me excita é saber que a mulher vai fazer sexo comigo por estar com vontade e não por dinheiro; só de pensar o que ela andou fazendo com outros antes dá nojo e por estes motivos me sentiria um lixo depois do ato. O advogado de 28 anos não se sente nem um pouco constrangido de tocar neste assunto em uma mesa de bar com os amigos e diz considerar o cúmulo do desespero recorrer a uma prostituta.

Ele não gosta de sexo anal: Acho nojento

Poucas mulheres não sofreram com inúmeros pedidos de algum namorado que vivia incomodando e pedindo uma alternativa ao sexo convencional. O sexo anal está em primeiro lugar no imaginário masculino, uma vez que todas nós sabemos que a parte traseira é a preferência nacional e que todo homem adora a sensação de dominar a parceira.

Porém, existe sim quem não goste e não tenha vontade sequer de experimentar. Nunca tentei e até hoje nenhuma garota me pediu ou sugeriu, conta Carlos*, de 29 anos. Ele, que namora há quatro anos, diz que o tema é uma questão de gosto e higiene e resume Eu sei o que tem lá dentro e não é algo que eu costumo associar ao sexo.

Ele não gosta de sexo oral: Depois de fazer, enjoei e corri para o banheiro vomitar

Gilberto* era louco por uma loira que trabalhava no departamento vizinho ao dele, em um banco de investimentos. Um belo dia, o administrador, de 35 anos, tomou coragem e convidou sua colega de trabalho para um drinque em um bar de São Paulo.

Mais tarde, já na casa dele, o clima esquentou e a moça o guiou para a preliminar, insinuando que queria sexo oral. Ele se incomodou com o cheiro de seu até então objeto de desejo e tentou disfarçar. Eu tentava subir, beijar a barriga, mas ela insistia. Como eu já havia bebido muito, enjoei e vomitei a caminho do banheiro. Depois disso, nunca mais me arrisquei a fazer sexo oral em ninguém, já que não gostava muito mesmo.

Ele não gosta de baixarias: Ela colocou uma calcinha vulgar e começou a falar coisas que nunca havia falado

A namorada de Augusto* pensou em tudo para o primeiro aniversário de namoro do casal. Comprou um conjunto de lingerie com zíper em local estratégico e tentou criar um clima com vinho, velas e muitas palavras picantes. O resultado foi desastroso.

O dentista, de 25 anos, não sabia o que fazer com tanto zíper e ficou visivelmente constrangido com o novo vocabulário de sua amada. Ficou tudo muito mecânico e sem naturalidade. Hoje, passado mais de um ano, a gente até consegue rir deste dia, mas passamos por uma turbulência e tanto, já que ela ficou com vergonha e eu não sabia o que dizer na hora.

Vontades e fantasias a parte, o melhor que um casal deve fazer antes de trazer novidades para a intimidade é uma boa conversa ou sondada na fantasia do outro, pra saber se seu amado vai conseguir entrar no clima desejado.

* Os nomes dos entrevistados foram trocados.

Leia mais sobre: sexo anal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.