Entre uma gelatina diet e duas folhas de alface, Débora Lyra bate um papo com o Delas e fala de suas expectativas

“Como você está linda!”, diz uma hóspede ao ver a capixaba Débora Lyra, 20 anos, maquiada e com os cabelos escovados para as fotos da entrevista. A Miss Brasil 2010, que aposta em medidas mais sequinhas para faturar o Miss Universo, recebeu a reportagem do Delas no SPA Sete Voltas, localizado no interior de São Paulo, na última semana.


Ela surge impecável e simpática, exatamente como uma miss deve ser, e distribui sorrisos e cumprimentos aos outros hospedes da clínica. O dia começa com uma caminhada: sete quilômetros serão percorridos, e essa é só a primeira atividade da programação. O jejum foi quebrado mais cedo, com metade de um mamão, uma fatia de pão integral e requeijão light. Nada de suco ou café com leite. “Não como e bebo ao mesmo tempo, não tenho costume”, explica.

Salada de alface com tomate é o prato de entrada do almoço
Tricia Vieira / Fotoarena
Salada de alface com tomate é o prato de entrada do almoço
O percurso, na tranquila estrada de terra, é embalado por seu inseparável Ipod rosa. Ela costuma ouvir músicas da irmã, a cantora Nathália Siqueira, vencedora do reality “Country Star”, promovido pela Band em 2007. “Também gosto de sertanejo, pagode, hip hop e Beyoncé”, conta. A atividade continua. Ela avista alguns cavalos e sente saudades das aulas de equitação, o hobby foi interrompido por conta de uma recomendação da mãe. “Ela tem medo que eu me machuque”.

Após quase duas horas, o trajeto acaba e Débora come uma gelatina diet de uva (com fibras) no lanche matinal. “Eles batem com gelo e depois colocam no congelador. É a melhor”, anima-se. A dieta restritiva, de 800 calorias diárias, é seguida por ela com rigor. “Nunca fugi. Meu almoço tem 170 calorias, no máximo”.

Dona de uma barriga chapada, ela gasta 40 minutos em exercícios localizados – nos dias mais inspirados chega a executar mil repetições. “Eu sou toda errada, adoro fazer abdominais! Principalmente os que queimam embaixo da barriga. Que mulher gosta disso?”, pergunta ela, antes de seguir para o treino de uma hora na musculação. “Eu faço todos [os aparelhos] porque o objetivo é enrijecer. Mas vamos fazer só tríceps hoje pra foto ficar bonita”, brinca.

Antes do almoço, mais uma pausa para as fotos. Enquanto retoca cabelo e maquiagem, a miss espia mensagens no celular. Solteira há cinco meses, não busca recados de nenhum namorado e chega a ter dificuldades para eleger o homem mais bonito do mundo. “É relativo. Acho que é o Zé”, diz ela, referindo-se ao seu empresário, o mineiro José Alonso, que também preparou outras vencedoras. “Vai todo mundo procurar a foto e dizer que eu sou louca, mas o coração dele é a coisa mais bonita da face da terra”, justifica.

As mãos inquietas revelam a mania de mexer nas unhas e pontas dos dedos. Para retocar os estragos que costuma fazer, ela anda com um alicate na bolsa. “Senão, destruo tudo”. De volta aos cliques no jardim, a miss segue as orientações do fotógrafo. “Eu não estou saindo gorda nessas fotos, né? Está aparecendo meus ossinhos aí?”, diz.

Divulgação
"Um homem bonito? O Zé", diz Débora, ao eleger o empresário José Alonso
“Hoje estou satisfeita”, explica ao falar do corpo. Mas em duas fases da adolescência, Débora chegou a engordar 15 kg. “Acho que era coisa da idade”. Quatro meses antes do Miss Brasil, em maio deste ano, a modelo também precisou de muita dedicação para voltar à boa forma. Durante sua estadia nos EUA para aperfeiçoar o inglês, ganhou 9 kg e teve que dobrar a malhação.

Chega o horário do almoço. Os funcionários do hotel comem feijoada, mas uma miss nunca fraqueja. “Eu não ligo. Como até mais aqui porque sigo a regra de três em três horas. Lá fora não tenho tempo”. Enquanto explica, já faz cara feia ao ver a salada de entrada. “Tenho pavor de tomate. Pavor”. Charuto de acelga com carne era o prato principal, seguido por uma mini torta de damasco para a sobremesa. O suco, quase transparente, foi diluído em água para diminuir o valor calórico, mas ela dispensa. Um cardápio em cima da mesa indicava o valor total da refeição, que neste dia somava 140 calorias. Um lanche da tarde e um jantar, também moderado, completam o cardápio do dia.

A preguiça bate depois do almoço na máquina de ultrassom, o aparelho acelera a quebra de gordura e modela as curvas da capixaba. “Preciso diminuir a perna, perder medida mesmo”, explica. Ao longo de uma hora, o vai-e-vem do aparelho quase a faz dormir.

O dia nublado impede uma esticadela na piscina para manter o bronzeado. Débora aproveita o tempo livre para ler “Pense Magro” e “O Segredo”, entre outros títulos. Ela diz não saber mais o que é lazer, o ócio costuma ser dedicado ao preparo para o concurso: “Tenho uma pilha de filmes e vídeos no meu quarto. Mas tudo sobre miss”, diz ela, que também testa maquiagens e penteados – habilidades que contam pontos no concurso.

A calma do ambiente bucólico e a ansiedade pelo grande dia parecem incomodar a modelo. “É muita tranquilidade, e eu sempre fui agitada. Ontem, me deu desespero”. Para espantar a pressão psicológica e trabalhar o nervosismo, ela participa das atividades que finalizam o dia. “Faço aula de salsa, jogo baralho, tem karaokê, preciso estar com a mente em paz também”.

Débora começa a ficar apreensiva entre uma resposta e outra. A mãe e a irmã já a aguardam no jardim para um passeio longe dali. Ela conclui rapidamente: “Sou uma menina abençoada. Acho que essa é a palavra”, diz ao se despedir da reportagem.

A miss Brasil Débora Lyra disputa o título de Miss Universo no dia 23 de agosto, em Las Vegas, Estados Unidos. Além da tradicional coroa, a vencedora ganha presentes valiosos ainda não divulgados. No Brasil, o evento será transmitido pela Band e pelo canal pago TNT, a partir das 21h, horário de Brasília.

Corrida na estrada de terra, a mania de mexer nas mãos e o cardápio restrito a 800 calorias diárias
Tricia Vieira / Fotoarena
Corrida na estrada de terra, a mania de mexer nas mãos e o cardápio restrito a 800 calorias diárias

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.