Veja galeria de fotos que mostram como eram os modelos dos trajes em casamentos nos anos 10, 20, 30...

Nos anos 80, tudo era exagero nos vestidos: da manga à cauda
Reprodução
Nos anos 80, tudo era exagero nos vestidos: da manga à cauda
Não dá para negar que o traje mais especial no guarda-roupa de muitas mulheres sofra influências da moda. Cada época apresenta uma tendência ou algum detalhe que demonstra o estilo dos vestidos de noiva daquele período.

Décadas de 10 a 40
Durante a década de 10, a chamada “Belle Époque”, os vestidos eram decorados com flores nas laterais. Andréia Miron, professora do curso de moda da Faculdade Santa Marcelina, comenta que as roupas tinham bastante tule e eram marcadas na cintura. O corpete, artigo muito usado no final do século anterior, também tinha sua força neste período.

Enquanto nos anos 10 os vestidos eram bem femininos, nos anos 20 eles eram bastante soltos. “Logo depois da primeira guerra, as mulheres começaram a entrar no mercado de trabalho, a se emancipar. As mudanças no comportamento feminino trouxeram modificações nos vestidos também”, explica Andréia.


A estilista da Fashion Noivas Rosi Ileska comenta que nos anos 20 a cintura do vestido era baixa e os modelos podiam ser um pouco mais curtos. “Na época já era muito sensual mostrar o tornozelo. Além do mais, o corte evitava que se sujasse a barra da saia”, diz Rosi.

Leia também:
- O melhor vestido de noiva para seu tipo de corpo
- Vestidos de noiva com corte reto

A sensualidade esteve bastante em pauta nos anos 30, quando as grandes divas do cinema como Bette Davis, Marlene Dietrich e Jean Harlow se tornaram inspiração para os looks das noivas. João Braga, estilista e professor de história da moda, aponta que a seda era muito usada nos vestidos desta época, bem como os véus longos.


O professor explica que nos anos 40 houve uma mudança abrupta nos vestidos de noiva. A recessão pela qual o mundo passou durante e depois da segunda guerra mundial, segundo João, explicam os modelos com menos tecido e até menos decorados, como os terninhos. Andréia aponta que houve muita influência do estilo pin-up nos modelos do período, com culotes mais marcados.

Dos anos 50 aos 80
“Nos anos 50, a noiva não expunha muito o colo, por isso usava um bolero ou uma gola de renda fechada por cima do vestido”, comenta Rosi. Andréia analisa que, no momento pós-guerra, as pessoas procuravam por símbolos de felicidade - casamentos de princesa foram bem-vistos nessa época. Por isso, os vestidos eram mais voltados para modelos mais românticos. Outras marcas dos anos 50 foram a cintura marcada e a saia em camadas.

O impacto fashion de Twiggy e Audrey Hepburn atingiu os vestidos de noiva durante os anos 60. Os modelos ficaram mais curtos e abusavam de formas geométricas, segundo Rosi Ileska. João comenta que outro tipo de vestido muito comum neste período foi o “tubinho”. Um detalhe, apontado por Rosi, é que as noivas usavam luvas longas.

“Já nos anos 70, a noiva ficou mais solta. Não se preocupava tanto com o refinamento do vestido, ele podia ser mais modesto”, diz João. Segundo o estilista, o comportamento hippie explica muito dos trajes da época. Batas e modelos com alça fina e decote império eram muito comuns.

Andréia explica que, assim como nos anos 40, houve uma pequena recessão nos anos 70 o que impactou os modelos dos anos 80. Segundo ela, é comum que haja exagero depois de uma época de crise e isso pode ser visto nos vestidos de noiva da década. João afirma que os modelos “oitentistas” tinham um ombro mais marcado e eram feitos de tecidos menos maleáveis. “Era muito comum que usássemos a manga presunto, aquela mais bufante, nos anos 80”, acrescenta Rosi.

E chegou o ano 2000
“Em 69 o homem pisou na lua. A partir daí projetou-se que nos anos 2000 o mundo seria diferente e que iríamos conhecer outras galáxias usando aquelas botas prateadas. Nos anos 90, perceberam que nada disso aconteceria, por isso a moda passou por um processo de releitura”, explica Andréia Miron. Assim, os vestidos dos anos 90 foram uma mistura de tudo que foi visto até então. “Várias identidades de outras épocas foram revistas”, comenta João.

Na passagem do século 20 para 21, as noivas passaram a preferir o decote tomara que caia. Afinal, as mulheres estão mais à vontade para se vestirem de maneira sexy. Apesar de admitirem a existência de tal preferência, Andréia e João insistem da diversidade de formas e modelos dos dias de hoje. “Se você visitar lojas especializadas em vestidos de noivas, verá que tudo é possível e imaginável”, finaliza Andréia.

Leia também:
- Damas de honra e pajens: tire dúvidas
- 12 respostas sobre a escolha dos padrinhos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.