Nada de saber se o noivo sabe cozinhar, se é um cara super romântico ou se vai dividir as tarefas da casa com você. Exames pré-nupciais são uma questão de saúde. Saiba quais são e por que fazê-los (ou não) antes do casamento

Getty Images

Antes de assinar os papeis e ter certeza de que o seu namorado tem tudo para ser um excelente marido, você certamente já avaliou toda a relação e imaginou o que virá pela frente. Ele tem lá os seus defeitos, mas, para casar de véu e grinalda, tudo indica que a aposta é certeira. A vida sexual também já deve ter passado pela sua aprovação e você sabe que ele não vai decepcionar na cama.

O que pouca gente sabe é que há a possibilidade de vocês dois passarem por check-up íntimo antes da primeira lua-de-mel: são os exames pré-nupciais. Pode parecer estranho se submeter há uma bateria de consultas ao ginecologista depois de várias noites tórridas de sexo durante o relacionamento, mas alguns especialistas garantem que esse pequeno esforço pode prevenir algumas surpresas e ajudar na vida íntima do casal.

A orientação pré-nupcial não envolve apenas a realização de exames ou de um check-up garantindo a saúde ou detectando doenças. Visa, sobretudo, que o profissional demonstre respeito, compreensão, segurança e conhecimento para que a paciente se sinta plenamente acolhida na consulta, aprendendo, desmistificando mitos e esclarecendo suas dúvidas e aflições, explica a Dra. Camila Cambiaghi, médica especialista em ginecologia do Instituto Paulista de Ginecologia, Obstetrícia e Medicina Reprodutiva.

Exames, para quê?

A idéia é tratar qualquer probleminha encontrado e até ajudar no futuro processo de gravidez. Mas será que depois de anos com seu companheiro, descobrir que ele tem alguma doença sexualmente transmissível na véspera do casório, por exemplo, pode colocar por terra todo o seu sonho de vida a dois?

É claro que ser pega de surpresa, dias antes da cerimônia, com um resultado que indica uma doença transmissível em seu futuro marido vai gerar uma tensão enorme entre o casal. Ótimo diagnosticar e iniciar o tratamento, mas os dois passarão a olhar a relação com outros olhos e será preciso compreensão e muita conversa, conta a psicóloga e especialista em terapia de casal Paula MonteCarlo.

Então, se você vai iniciar a bateria de exames, é importante que você converse com seu noivo e vocês estejam unidos caso haja uma eventual necessidade de tratamento. Se a noiva descobre que tem dificuldade para ser uma futura mamãe, vai precisar de muito apoio para que isso não gere insegurança no casamento que ainda nem aconteceu, comenta a psicóloga.

Mas, independentemente dos resultados, a ideia é prevenir algumas complicações, auxiliar na gravidez e até melhorar a relação entre médico e paciente. A empatia com o ginecologista escolhido por ela é essencial e é importante que se perpetue nos pré-natais e partos futuros, explica Camila Cambiaghi.

Para ela e ele

Confira a lista de exames necessários para você e para o noivo. E se você ainda nem sonha em casar, não descarte a importância de fazer check-ups com frequência e ficar por dentro de como anda a sua saúde.

Para a mulher:
- Colpocitologia oncológica ou Papanicolaou ;

- Hemograma completo : avalia se há anemia, alterações de glóbulos brancos ou de células da coagulação denominadas plaquetas. Pode tratar algumas doenças ou aconselhar sobre o risco de transmissão numa gestação;

- Tipagem sanguínea : identifica o grupo de sangue ABO e Rh. Se a paciente for Rh negativo, deve conhecer a tipagem do seu futuro marido, para saber se haverá alguns cuidados especiais em gestações ou partos (caso ele seja Rh positivo);

- Reações sorológicas para a sífilis : detectam possível contaminação assintomática, possibilitando tratamento, que cura a doença;

- Sorologia para rubéola : se a paciente não tem imunidade para a rubéola, deve ser vacinada e não engravidar por pelo menos três meses. A vacinação, na adolescência ou antes do casamento, protegerá o seu feto em gestação futura;

- Sorologia para hepatite B e C : se houver a presença do vírus B ou C, a mulher deve ser acompanhada por um infectologista e conhecer os riscos de transmissão da doença. Se ela tiver a sorologia negativa para a hepatite B, deve ser vacinada. Para o vírus C, infelizmente, ainda não há vacina. Se ela for de risco para contrair hepatite do tipo A, também pode ser vacinada;

- Sorologia para HIV : deve ser feita com o consentimento do paciente, mas tem importância fundamental para iniciar tratamento adequado e aconselhamento quanto a gestações futuras;

- Exame de sedimento urinário : pode detectar infecções assintomáticas tratáveis;

- Exame de fezes : permite o diagnóstico e o tratamento de várias parasitoses assintomáticas, que podem trazer consequências indesejáveis no futuro.

Para o homem:
- Hemograma completo;
- Exame de sedimento urinário;
- Exame de fezes;
- Sorologias para sífilis, hepatites e HIV;
- Tipagem sanguínea;
- Espermograma: para conhecer suas condições de fertilidade.

Veja também: os piores vestidos de casamento

Leia mais sobre: exames pré-nupciais

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.