Depois de escolher o profissional, é hora de combinar, em detalhes, como será retratado o grande dia

Casal faz fotos na Avenida Paulista, um dos locais mais conhecidos da cidade de São Paulo
Arquivo pessoal
Casal faz fotos na Avenida Paulista, um dos locais mais conhecidos da cidade de São Paulo
Primeiro vem a indicação – ou a sorte de encontrar em um anúncio de revista ou na internet o fotógrafo de casamentos cujo trabalho encanta os olhos. Contato feito, em geral é marcada uma reunião para que sejam acertados pontos como a data da cerimônia, preços e o que inclui o pacote de serviços. Mas antes do aperto de mãos e do “então é isso, obrigada e até o dia da festa”, os noivos precisam deixar tudo muito bem combinado, e registrado em contrato se for o caso, com o responsável pelas fotos.

Leia também:

A tradição dos álbuns de casamento

Chineses investem em álbuns de casamento superproduzidos

“Muitos casais chegam querendo saber apenas o quanto cobramos e como ficará o álbum no final”, conta a fotógrafa Adriana Brier, do Studio AF Photo, em São Paulo. “Mas como já sabemos que os noivos, até pela novidade da situação, ficam meio perdidos, tratamos de esticar mais a conversa para saber exatamente o que eles querem”. O problema é que nem todos os profissionais da área fazem isso. E pautar o trabalho do fotógrafo em detalhes é interesse dos noivos, no final das contas.

Definição de detalhes
É preciso definir, desde o início, o estilo das fotos – e para isso é bom pedir para ver trabalhos anteriores dos fotógrafos como exemplo. O fotógrafo Evandro Rocha mora em São José do Rio Preto (SP), mas como aceita trabalhos por todo o Brasil, faz de seu site um cartão de apresentação. O estilo dele fica bem evidente por ali, assim os noivos já sabem o que esperar.

“Quem me contrata já sabe que eu não farei fotos de absolutamente todos os convidados, pois meu estilo é pegar mais as cenas e momentos, não fazer aquelas fotos posadas”, diz. Na hora do evento em si, Evandro relembra aos noivos de que ele está a postos para o caso de eles quererem uma foto com alguém em especial. Na maior parte do tempo, no entanto, ele mesmo pauta seu trabalho.

Sabendo que o estilo do fotógrafo pesa bastante, esse é o primeiro passo – ter certeza de que ele é compatível com o gosto dos noivos. Depois disso, é bom saber se o profissional vai atender a toda uma lista de pedidos que os clientes possam ter. Há que ache importante falar sobre os convidados (fazer fotos de todas as pessoas? De todas as mesas?), sobre como serão as fotos das alianças, do brinde, dos detalhes de decoração e tantos outros itens que envolvem tanto a cerimônia quanto a festa.

Em conversa com a fotógrafa, casal decidiu usar a Avenida Paulista como cenário. O local da festa era perto e a sugestão veio da profissional contratada
Arquivo pessoal
Em conversa com a fotógrafa, casal decidiu usar a Avenida Paulista como cenário. O local da festa era perto e a sugestão veio da profissional contratada
Não tem reprise
Quando o evento é marcado para muitos meses à frente, alguns fotógrafos até marcam uma segunda reunião com os noivos para saber sobre a cerimônia religiosa, por exemplo. “Algumas igrejas têm restrições à circulação dos fotógrafos e alguns padres realmente se incomodam que os fotógrafos interfiram no andamento da cerimônia”, explica Adriana Brier. “Por isso é bom saber antecipadamente o que o casal planejou para a parte religiosa, se haverá casamento civil ao mesmo tempo, como será o decorrer da festa. Assim vamos preparadas para não perder nenhum lance”.

Leia também:

Casamento à indiana

Casamento à francesa

Entrar em acordo sobre os detalhes é importantíssimo mesmo, até porque o casamento não terá uma reprise e qualquer momento perdido ficará sem registro. É bom ter certeza, então, de que o profissional contratado está de fato comprometido com o resultado. “Fotógrafos que marcam reuniões e, no dia, mandam assistentes para conversar com os noivos já causam desconfiança. E corre-se o risco de ter alguém que nem conhece o rosto da noiva fotografando a celebração”, opina a cerimonialista Tereza Magalhães, que sempre lembra isso aos casais para os quais presta serviço.

Feliz com resultado
No caso da representante farmacêutica Olívia Lagrotta, de São Paulo, casada a pouco mais de um mês, uma longa reunião com as fotógrafas contratadas deu ótimo resultado. “Enquanto conversávamos surgiu a ideia de fazer algumas fotos na Avenida Paulista, um lugar que eu sempre gostei e meu noivo também – e que ficava pertinho do local onde íamos fazer a festa”, conta.

As fotos no cartão-postal paulistano, com o casal muito descontraído e feliz, no final, foram as favoritas de Olívia. “Combinou muito com nosso espírito e, se não fosse o bom papo que tivemos com as fotógrafas, talvez não tivesse acontecido. Por isso acho que essa ligação com o fotógrafo é essencial para ter as melhores lembranças do casamento”.

Confira mais:

Detone o vestido

Ensaio fotográfico no morro

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.