Sete mulheres revelam os apuros que viveram na grande noite

Na hora da festa, o vestidão pode atrapalhar
Getty Images
Na hora da festa, o vestidão pode atrapalhar
Toda noiva deseja ter uma festa de casamento perfeita. Porém, histórias reais comprovam que jogo de cintura é necessário para encarar os imprevistos. Mulheres que já casaram contam ao Delas o que fariam diferente se pudessem voltar no tempo. Aprenda com elas!


Quando o noivo é flamenguista...
“Apesar de ter me casado apenas no cartório, fiquei dias procurando um vestido bacana - que coubesse meu barrigão de cinco meses de gravidez e nem me preocupei em perguntar ao meu futuro marido o que ele usaria na ocasião. Imagine minha surpresa quando ele apareceu de tênis, jeans e a camisa do Flamengo! O pior de tudo foi ouvir as críticas dos convidados, segundo eles, a noiva tem obrigação de escolher o traje do noivo.”
Lilian Jussara Moreira, 21 anos, estudante.


Rapazes precisam de supervisão
“Sempre achei muito machista aquele noivo que simplesmente 'aparece' no dia do casamento, enquanto a noiva passa meses planejando tudo sozinha. E como o meu marido é músico e assistente de produção de eventos, concordei que ele ficasse responsável por providenciar o equipamento de som e montar algumas playlists no iPod. Porém, na correria do dia do casamento, ele não se lembrou de alguns itens. No final das contas, um dos convidados teve que correr de carro em carro até encontrar um conector para o iPod, enquanto outro dirigia pela cidade em busca de um CD com a música que escolhemos para nossa primeira dança."
Helena Hill, 24 anos, mestranda em Relações Internacionais.

Segura o vestido
“O legal de uma recepção é dançar e interagir com os convidados, mas com o vestido que eu usei, não foi muito fácil. Hoje vejo que deveria ter providenciado uma opção de roupa para utilizar durante a festa, assim poderia ficar mais solta.”
Vanessa Cristina Pereira, 34 anos, encarregada de operações.

Faltou presente e sobrou comida
“Quase tudo saiu como desejávamos, exceto por duas coisas: a primeira é que não fizemos lista de presentes, para não obrigar ninguém a comprar um item específico. Bem, no final, não ganhamos nada de pelo menos metade dos convidados. Outro problema foi que as pessoas não confirmaram presença formalmente. Muitos falavam "Ah, vocês sabem que nós vamos", mas não confirmaram por telefone. Não tivemos parâmetro para calcular o número de convidados para o buffet e sobrou comida demais."
Juliana Chagas Fortes, 26 anos, bióloga.

A temida lista de convidados
“Escolhi convidar colegas do trabalho e curso, que eu via com frequência, em vez das amigas fiéis que eu não encontrava há anos. Aprendi que as amigas mais recentes, aquelas que você conhece menos, podem até confirmar presença, mas acabam não comparecendo.”
Fernanda Messias Conti de Souza, 28 anos, professora.

Tudo ao mesmo tempo agora
“Contratamos muitas atrações para entreter os convidados: banda, DJ, vídeo-foto, depoimentos, artista cover, danças... Enfim, ficou tudo muito corrido e atropelado! Se tivéssemos optado por uma ou duas atrações, a festa teria sido muito mais legal. Ainda falando em excessos, também exageramos nos docinhos: 15 sabores. Daí muitos convidados ficaram frustrados, pois não conseguiram experimentar pelo menos um de cada tipo."
Renata Moreira, 27 anos, empresária.

Fotos frustrantes
“Tentei contratar um fotógrafo maravilhoso, mas ele já tinha compromisso agendado para o dia do meu casamento. Como já estava bem em cima da hora, acabei fechando com outro profissional, sem muito cuidado. Costumo dizer para meu marido que o nosso casamento foi lindo, mas as ‘lembranças’ são fotos mal tiradas de uma noiva em seus piores ângulos. Outro erro foi não ter tirado fotos com a maquiagem antes do dia do casamento, para saber como ela ficaria com o flash.”
Claudia Gonçalves Freitas, 26 anos, turismóloga.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.