Dicas pra você não ficar perdida e saber planejar o casamento

Pode ser uma mulher super forte e independente... fica noiva, parece que fica burra, brinca a consultora de eventos Alba Noschese, autora de Casamento prêt-à-porter. Se você já se sentiu assim, saiba que é normal: Além de ser um marco pessoal para os noivos e suas famílias, o casamento tem também uma função de auto-apresentação perante a sociedade, daí vem uma vontade de acertar as informações sobre você mesma que o casamento vai passar à sociedade. Cada decisão sobre a cerimônia, a festa e a figura da noiva se torna simbólica, é um pacotão que mistura amor, compromisso, família, amizade, expectativas, prestígio, educação, etiqueta, cultura... mesmo a pessoa mais estruturada se atrapalha.


A estudante de jornalismo Samantha Costa só pretende se casar daqui a dois anos, mas já sente o peso da responsabilidade: A ansiedade é horrorosa. Todo mundo começa a falar que você está noiva, te joga uma carga enorme, e você mesma se cobra mais ainda, você só sabe que quer algo maravilhoso, mas não sabe o quê... na hora de materializar tudo isso, começa a pirar!


É tanta coisa para decidir que é inevitável a sensação de não saber por onde começar. Especialistas, livros, sites e noivas concordam que é vital se apressar para reservar a igreja, especialmente se você já sabe em qual quer casar e não abre mão dela. As mais concorridas têm que ser reservadas com até um ano e meio de antecedência. Juliana Fioretto, estudante de direito com casamento marcado para outubro de 2009, se surpreendeu: Eu achava que tinha muito tempo, só comecei ligar para as igrejas por sugestão da minha mãe. Logo descobri que para setembro, que está virando o novo mês das noivas por causa do começo da primavera, já não tinha vaga. Quando consegui minha data, tive que pagar a reserva em poucos dias, e o preço já tinha subido bastante desde o casamento da minha irmã no ano passado. É um mercado feroz!


Para ajudar a tomar a enorme quantidade de decisões que a ocasião exige, os assessores de eventos costumam cobrar uma taxa fixa que depende do tamanho e complexidade dos planos, além de uma porcentagem sobre o valor dos serviços que eles administrarem. Para quem tiver tempo e vontade de organizar tudo sozinha, os especialistas recomendam: depois de reservar igreja e local da festa, o próximo passo é procurar fotógrafos e/ou cinegrafistas e banda e/ou DJ, por que estes serviços também dependem de reserva de data, diferente, por exemplo, de um florista, que pode decorar mais de um evento no mesmo dia.
 É bom ter tempo para planejar, inventar, pesquisar, criar e recriar, estudar as formas de pagamento e as burocracias. O lado ruim é que a ansiedade se acumula, o casamento não chega, o nervosismo não acaba nunca, diz Samantha. Para Juliana, o mais estressante é descobrir como casar é caro, inevitavelmente. Em compensação, é muito gostoso preparar, ficar sonhando com o dia, ler as revistas, imaginar as decorações, e saber que logo esse sonho vai se realizar. Cada contrato fechado é uma conquista de um pedaço dessa festa, e vai ser muito gratificante viver o dia depois de todo o trabalho.
O prazo de preparação permite também que os noivos e/ou suas famílias poupem algum dinheiro para a cerimônia, a festa e a lua-de-mel, afinal, ninguém quer começar a vida a dois endividado. Juliana achou uma grande vantagem o bufê que contratou só exigir o pagamento quinze dias antes da festa: Alguns lugares exigem pagamento desde a reserva, mas tenho medo de pagar os fornecedores com muita antecedência. E se até o meu casamento a empresa falir ou alguma coisa mudar? Vai ser muita dor de cabeça. Pagando mais perto do dia, o dinheiro que estamos guardando fica rendendo até a última hora.


Contagem regressiva
A autora de Casamento sem Frescura, Cláudia Matarazzo, elaborou um cronograma de preparativos pra o casamento:
- seis meses a um ano antes do casamento: reservar igreja e bufê; orçar e contratar músicos, cinegrafistas, fotógrafos e florista; escolher os padrinhos.
- cinco meses antes: escolher e encomendar o vestido de noiva; convidar noivinhas e pajens, se for usar; conferir a prova dos convites.
- quatro meses antes: definir o cardápio da festa com o bufê; pesquisar e escolher a lembrancinha da festa.
- três meses antes: começar o processo do casamento civil no cartório; terminar a lista de convidados e verificar a grafia de nomes e endereços; definir o repertório com os músicos; definir a decoração e os custos com o florista; provar a comida; encomendar as lembrancinhas.
- dois meses antes: escolher o bolo; ajudar a escolher a roupa do noivo; encomendar o buquê; enviar os convites ao calígrafo para serem sobrescritos.
- sete semanas antes: fazer lista de presentes, acertar os últimos detalhes com o bufê, rever o repertório com os músicos.
- seis semanas antes: combinar as roupas com padrinhos e pais, e alugá-las; confirmar data e horário na igreja; verificar banheiros da recepção; escolher cabeleireiro e maquiador.
- cinco semanas antes: enviar os convites, definir a escolha das flores.
- quatro semanas antes: acabar os preparativos para a recepção, providenciar transporte para o casamento e a recepção.
- três semanas antes: fazer a prova final do vestido, confirmar o transporte.
- duas semanas antes: conferir as jóias e demais acessórios que for usar no dia; checar as respostas aos convites e dar ao bufê o número exato de respostas.
- uma semana antes: verifique todos os serviços e fornecedores; faças as malas e compras necessárias para a lua-de-mel; cuidar da pele e dos cabelos.
- dois dias antes: separar todos os objetos de que vai precisar no dia; fazer depilação e unhas dos pés e das mãos; mandar lembrancinhas e objetos que for usar na festa para o local da recepção.
- um dia antes: pedir para alguém levar seu vestido e véu para o local onde for se trocar.
Assim, no grande dia, você pode relaxar e aproveitar!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.