Diferentes formas de receber seus convidados dentro do seu orçamento

Getty Images

Casamento é puro sonho, mas para realizá-lo não há como ignorar uma questão muito mais terrena: casamento também é caro. Assim como não há limites para a criatividade dos noivos, não há limites para o quanto se pode gastar em uma festona. Mas aqueles que não têm a sorte de dispor de um orçamento folgado têm de se ajustar às suas limitações financeiras para não começar a vida de casados já no vermelho. Para fazer isso, só mesmo enxugando a lista de convidados ou simplificando a festa. Regiane Samartin Moreira, dona da Partiè Assessoria de Eventos, sugere diferentes modelos de recepção com estimativas de custos para acomodar todos os bolsos:


Até R$ 10.000
Se o seu orçamento vai até este montante, você pode optar por servir bolo e prosecco, docinhos e bem-casados em vez de uma refeição completa. Uma recepção assim custa entre 50 e 55 reais por convidado, aproximadamente. Opte por horários como o período da manhã ou da tarde, longe dos horários das refeições. Para Cláudia Matarazzo, autora de Casamento sem Frescura, casamentos de dia são mais simpáticos e descontraídos. À noite, as pessoas tendem a se sentir mais cansadas e formais. Uma festa menos elaborada não precisa deixar de ser elegante.

Outra alternativa é marcar a data para um dia da semana ou domingo já que os bufês aumentam os preços às sextas e sábados. Regiane conta que uma de suas clientes, que se casou em um domingo, optou por fechar um restaurante, e lá fez a cerimônia e a recepção, gastando um total de 12 mil reais. A festa foi um jantar de alto padrão para os 70 convidados, um trio de instrumentistas tocava música ao vivo. O casamento foi das sete à meia-noite e meia, e foi muito bonito.

Vale a pena verificar se o local da cerimônia religiosa tem um salão onde você possa receber os convidados. Muitas têm, embora eles sejam pequenos e não comportem um festão. Aí você já aproveita os mesmos músicos, combinando com eles um preço único para cerimônia e recepção.

Lembre-se que quem opta por um casamento informal deve ser coerente desde o início, escolhendo convites mais simples e menores, evitando papéis muito grossos ou com brilho. O vestido da noiva também deve ser mais discreto, sem abusar das pedrarias, bordados e cauda, e sem metros de véu se arrastando.



Até R$ 40.000
Essa faixa de orçamento se encaixa bem num tipo moderno de recepção, o coquetel. Nele, os garçons circulam com petiscos que os convidados comem em pé, dispensando o serviço de bufê e diminuindo muito a necessidade de louças, que se limitam a copos e pratinhos. Na sua variante mais moderna, as comidinhas e as bebidas são dispostas em ilhas onde os convidados se servem. Sofisticando um pouco mais o menu, também é possível oferecer pequenos bowls de massas ou risotos. Essa opção custa entre 100 e 150 reais por convidado.

Como costuma acontecer no final da tarde e início da noite, esse tipo de festa já comporta um pouco mais de formalidade e brilho na decoração e no vestido de noiva, embora não combine com excesso de apego à tradição, por se tratar de um formato bastante despojado. O horário limita bastante a escolha de datas, especialmente nas grandes cidades: é difícil que os convidados consigam chegar a um casamento, arrumados e penteados, no fim da tarde de um dia útil. Prefira, portanto, sábados ou domingos.


Acima de R$ 40.000
Se o seu orçamento não é tão apertado, aproveite. Você tem a liberdade de escolher um casamento mais formal, com um jantar completo com todos os convidados sentados, que custa entre 300 e 350 reais por pessoa, num grande salão com decoração requintada, em horário nobre. Depois do jantar, você pode ter música ao vivo e/ou com um DJ para animar os convidados noite adentro, além de barmen servindo drinques até altas horas.

Cláudia Matarazzo sugere marcar uma festa desse tipo para o início da semana, quando as pessoas não estão muito cansadas, ou para o fim-de-semana. Ela diz que em uma sexta-feira, por exemplo, há um risco de todos estarem exaustos e encararem o comparecimento mais como obrigação do que como um prazer, e a festa acabar mais cedo.

Qualquer que seja o tipo de recepção escolhido, Regiane alerta para a importância de pesquisar preços e prestar atenção aos detalhes, que às vezes encarecem desproporcionalmente um produto ou serviço. Ela dá o exemplo dos bem-casados, que em um mesmo fornecedor podem custar de 1,80 a espantosos 25 reais a unidade, apenas por conta da embalagem. Mas o preço não pode ser o único critério de escolha dos produtos e serviços: Preço alto não é garantia de qualidade, mas também dá para desconfiar do barato demais. É sempre mais seguro escolher um fornecedor do qual você tenha alguma referência. Para ela, economizar o aluguel de um espaço fazendo a recepção em casa ou na praia também pode não ser bom negócio, especialmente se a festa for grande. Adaptar o lugar para receber um grande número de convidados pode exigir gastos grandes: uma cobertura para o quintal em caso de chuva, um caminhão-pipa para suplementar a caixa dágua, banheiros químicos. Alugar um local com toda a infra-estrutura pronta evita diversos custos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.