A função principal deles é levar o par de alianças até o altar. Mas, é claro que além disso embelezam e dão um charme todo especial à cerimônia.

Quando chega o momento da entrada das alianças, os convidados não param de suspirar. Ouve-se até um "Que gracinhas!" de uma convidada mais eufórica. Não há como negar, a entrada de crianças na cerimônia de casamento é um momento à parte. 

No meu casamento, foram quatro crianças, três meninas e um menino. Mas se  eu pudesse, colocaria umas dez crianças! Acho que eles dão alegria e graça à cerimônia, afirma a meteorologista Desirée Brant, casada há um ano. Ela lembra que, na verdade, havia planejado a entrada de cinco crianças, mas o mais novo, com apenas dois anos, desistiu na última hora.

Por isso, o ideal é que as crianças tenham, no mínimo, quatro anos, para que entendam a importância da tarefa delas durante o casamento. No caso de Desirée, a desistência do pequeno Lucas não atrapalhou, nem foi uma surpresa desagradável, pois os noivos já contavam com essa possibilidade devido à pouca idade do garoto. Acabou entrando o pajem maior, de onze anos, na frente, levando as alianças. E as três meninas, de seis, oito e onze anos, em seguida, explica ela.

Algumas noivas ficam em dúvida sobre quem deve arcar com o quê na hora de vestir as daminhas e pajens. De acordo com a etiqueta, como as crianças geralmente são convidadas pelos noivos, o ideal é que os próprios noivos paguem os trajes e arranjos, sejam eles alugados ou confeccionados sob medida.

Porém, nada impede que os próprios pais arquem com os custos, caso tenham recursos e a decisão seja tomada de pleno acordo entre as partes. Neste caso, é de bom tom que os noivos presenteiem cada uma das daminhas e pajens ao final da festa. Geralmente, o agrado vem em forma de bonecas ou bijuterias infantis no caso das meninas, ou carrinhos e jogos no caso dos meninos.

Outra dúvida que muitas noivas têm é sobre o modelo e cor dos vestidos. Devem ser iguais ao da noiva ou podem ser diferentes? Segundo a empresária Regina Nunes, que trabalha com confecção e aluguéis de trajes para festas, o ideal é que não sejam exatamente iguais ao da noiva, para não tirar a surpresa da roupa da principal atração da noite. Porém, devem ter tons semelhantes, ou a mesma cor. Os vestidos das daminhas devem ser rodados, com laços e modelos mais infantis. Mas é importante que os vestidos de todas elas sejam iguais, explica. E acrescenta: quando a noiva opta por convidar mais de uma daminha, o ideal é que os vestidos sejam feitos sob medida para cada uma das meninas e todos no mesmo lugar, para que não tenham cores ou modelos destoantes.

Regina Nunes detalha ainda que para casamentos realizados durante o dia,  tafetá, organza e cetim são boas opções de tecidos. Já para cerimônias que acontecem à noite,  os vestidos podem ter detalhes em renda ou fitas de cetim. A noite sempre pede um pouco mais de brilho. Mas atenção, quando se trata de crianças, o brilho deve ser discreto, por isso, prefiro optar pelas rendas e cetins em vez de pedras ou cristais, opina. Ela complementa que as daminhas podem usar luvas, caso a noiva também as use. Mas também ressalta que as luvas longas não ficam bem em crianças.

Para os pajens, a situação não é diferente. O tom das roupas deve seguir o do noivo. Geralmente são cores escuras com camisas brancas. Outra opção é que o traje seja semelhante aos dos padrinhos, permitindo que o noivo tenha um destaque maior.

Para concluir, a empresária dá uma dica importante, mas que nem todos se lembram: se os vestidos, ternos ou fraques forem confeccionados com meses de antecedência, como geralmente acontece, a costureira deve sempre deixar um pouco de barra sobrando. Não podemos esquecer que as crianças crescem muito rápido. Assim, evitamos problemas e dores de cabeça para as mães e, principalmente, para os noivos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.