Casamento no cartório: véu, buquê, convites e fotógrafos

Especialistas e noivas respondem às dúvidas mais comuns das mulheres que vão se casar apenas em cerimônia civil

Cíntia Costa, especial para o iG São Paulo |

Que roupa a noiva deve usar? Quantas pessoas convidar? Fica chato levar buquê? E fazer festa depois? Veja os conselhos de Fernanda Floret, do Vestida de Noivas , organizadora de casamentos formada em moda, e Consuelo Blocker , diretora de estilo internacional da Santaconstancia e autora do Consuelo Blog, sobre a etiqueta do casamento no cartório – e inspire-se na história de noivas que capricharam no dia de assinar os papéis.

Paulo Freitas
Alessandra, no dia de seu casamento, e a irmã Consuelo: cores claras e linhas discretas no vestido
Com que roupa eu vou?

Há apenas uma regra em relação ao traje da noiva para o casamento civil: vestido volumoso, cheio de brilhos, não combina. “O vestido até pode ser formal, mas a noiva tem que estar adequada ao local e horário ”, ensina Fernanda.

A recomendação para quem quer se vestir de noiva é optar por trajes brancos, de corte clássico – como o vestido que usou a editora Alessandra Blocker, irmã de Consuelo, na cerimônia civil de união com o arquiteto Carlos Warchavchik. Véu e buquê estão liberados, desde que sejam pequenos e discretos. Vestido é a escolha mais comum, mas não a única opção. “Acho o máximo uma noiva no casamento civil de terninho claro”, diz Consuelo.

Quantos e como convidar

Pela lei, um casamento civil só precisa de duas testemunhas para acontecer, mas a solenidade é aberta para quem quiser assistir. O número de convidados permitido depende do espaço de cada cartório. Dependendo do local, cabem até 15 pessoas.

No entanto, quanto menos convidados, mais elegante . Assim, o posto de padrinho ganha um sentido maior, explica Consuelo. É também uma questão de praticidade. Geralmente, o procedimento é bem rápido e o espaço, limitado, diz Fernanda.

Por se tratar de um momento mais íntimo, não há necessidade de fazer convites tão formais quanto os do casamento religioso. Mas também não vale convidar os padrinhos por e-mail ou deixando um recado nas redes sociais. Opte pelo meio termo: um telefonema ou convite escrito à mão em papel elegante, mais pessoal.

Preciso contratar fotógrafo?

A cerimônia dura pouco, mas o momento é importante. As especialistas são unânimes em recomendar a contratação. “Sou a favor de registro profissional de todos os momentos importantes da sua vida”, declara Consuelo.

Muitos cartórios têm parcerias com fotógrafos acostumados com o local e que cobram preços acessíveis, a partir de R$ 200 um pacote com dez fotos. Vale se informar a respeito na hora de dar entrada nos papéis. Outra opção é incluir o civil no pacote do fotógrafo do casamento religioso. Certamente sairá mais barato que contratar o serviço separadamente.

A arquiteta Ana Paula e o empresário Frederico Bergamini, que se casaram apenas no civil, não só contrataram a fotógrafa Rejane Wolff como foram além – registraram o dia todo, do café da manhã em casa ao almoço de comemoração com a família. “Foi realmente um dia muito especial e o álbum é uma ótima recordação”, conta Ana.


Como comemorar?

Para quem se casa de manhã, um brunch na casa dos noivos ou almoço no restaurante favorito do casal , com a família e padrinhos, são boas pedidas.

Os casamentos que terminarem mais tarde podem culminar em uma recepção estilo late lunch dançante: um almoço que começa entre as 13 e 14 horas, com banda e pista de dança, indo até o fim da tarde.

    Leia tudo sobre: cartóriociviletiquetavestidofotografia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG