Especialistas recomendam o que tocar e o que evitar na cerimônia e na festa de casamento

Músicas do casamento e da festa refletem estilo do casal e devem combinar com os noivos
Getty Images
Músicas do casamento e da festa refletem estilo do casal e devem combinar com os noivos
Grande parte da emoção de uma cena romântica em um filme pode ser creditada a uma boa trilha sonora. Assim como nos sucessos de Hollywood, escolher as músicas certas para cerimônia e festa de casamento é fundamental para criar um clima inesquecível.

Do clássico a ao rock, das baladas ao axé, todos os estilos podem entrar no setlist dos noivos, desde que alguns cuidados sejam tomados.

Cerimônia afinada

Cada momento da cerimônia tem um simbolismo próprio, que é um bom ponto de partida para a escolha das canções. A benção das alianças, por exemplo, pede uma melodia condizente com a serenidade do momento, como um hino religioso, ensina Rita Del Chiaro, maestrina do coral que leva seu sobrenome. No cumprimento aos padrinhos, temas mais alegres, que falem sobre a amizade. Já a saída dos noivos combina com ritmos animados e vibrantes.

Mas atenção. Segundo Rita, a escolha das trilhas sonoras da igreja deve começar pela da entrada da noiva. “É o momento mais esperado pelos convidados e deve ser o auge musical da cerimônia”, ensina Rita.

Sheila Melo e Fernando Scherer: música composta especialmente para o casal
AgNews
Sheila Melo e Fernando Scherer: música composta especialmente para o casal
Quem quer fugir do tradicional, pode fazer uma seleção baseada em músicas que carregam significado pessoal para os noivos, como fizeram o ex-nadador Fernando Scherer e a ex-dançarina Sheila Mello. “Nossa cerimônia teve músicas que marcaram tanto nosso relacionamento quanto nossas vidas, como algumas que eu ouvia antes das minhas competições”. A noiva entrou na igreja embalada por “Sua Canção”, do amigo e cantor Maurício Manieri, composta em homenagem ao casal durante o reality show “A Fazenda”, onde se conheceram. “Toda vez que ouço, lembro dele cantando para ela em meu nome no programa”, conta, emocionado.

Outro cuidado que deve ser tomado é em relação às letras, principalmente se forem em outra língua, para não correr o risco de casar ao som de palavras de separação ou tristeza, por exemplo. “Vale a pena pegar a tradução na internet antes de escolher”, aconselha Vilma Fortuna, diretora da banda New Times.

Festa animada

Na festa, há dois momentos emblemáticos em que a música tem papel fundamental: a entrada dos noivos no salão e a primeira dança. Sons que são sucesso nas rádios estão sempre entre os mais pedidos, conta Fábio Lucas, da banda Armagedom. “Temas de filmes também são bem cotados”.

Se bem escolhidas, essas músicas podem virar uma marca temporal do casamento. Para Vilma, não há problemas em tocar o que está na moda, desde que tenha a ver com os noivos. “Se a canção realmente significa algo para eles, quando forem assistir ao filme, daqui a muitos anos, vão se lembrar da época e ficar felizes”, diz Vilma.

O setlist do restante da festa deve começar com músicas mais calmas e ir ficando mais animadas, numa crescente. “Os mais velhos, que ficam irritados com som alto, costumam ir embora cedo, logo após o jantar. Por isso, é respeitoso deixar as melodias mais calmas para este momento e ir evoluindo aos poucos”, diz Fábio. Vilma completa: “O normal é começar numa dinâmica elegante, com clássicos americanos, boleros, mambo e músicas das décadas de 60 a 90, terminando em ritmos populares, como samba, forró, axé, sertanejo, funk, trash e brega”. Ter um pouco de cada estilo é elegante. Lembrem-se de que a festa é para todos os convidados, não somente para os noivos.

Evitem apenas músicas com teor apelativo, hinos de times de futebol e gêneros que fujam muito do proposto pela banda, que podem resultar em confusões e má execução, ensina Fábio.

O ideal é montar a seleção musical com a ajuda da banda ou DJ do seu casamento. “Peço sempre aos noivos que apontem uma linha que agrada, alguma banda que não possa faltar e o que eles efetivamente não gostariam que tocasse. Dentro desse panorama eu fico livre para puxar as músicas, observando sempre o andamento da festa. Se eu sinto que não está agradando muito, já inverto a linha das músicas pra um lado que resolva a situação”, revela Fábio. Assim, os convidados vão ficando e seu casamento vai longe.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.