Quantos por convidado? Qual variedade escolher? Quais tipos não podem faltar? Tire todas suas dúvidas sobre os doces do casamento

Adoçar o paladar dos convidados e encerrar a comemoração com bom gosto não são as únicas funções dos doces nas festas de casamento. Com formatos que integram a decoração e misturas de sabores criativas, os docinhos dão um toque pessoal à festa. A nova geração é louca por chocolate e traz à moda os brigadeiros, casadinhos e cajuzinhos, mas o clima quente e o tema da festa podem pedir as frutas cítricas e os sabores brasileiros.

De acordo com cerimonialistas e doceiras, o jantar servido no casamento está à parte dos doces, que cumprem seu papel sem precisar ser harmonizados com os pratos que foram servidos. Só o sabor da sobremesa que não pode repetir o sabor dos doces servidos. Prefira, por exemplo, um sorvete de manjericão – e não de chocolate – se a mesa de doces vai incluir brigadeiro, ganache e tortinhas de chocolate. “Os doces têm que combinar com os gostos e preferências dos noivos. Assim, casamentos mais modernos pedem mesas de chocolates e brigadeiros gourmet. Casamentos mais tradicionais e clássicos pedem uma variedade para atender a todos os gostos dos convidados”, recomenda a doceira Fabiola Toschi. Mas e a quantidade?



A ordem é equilibrar quantidade e variedade de docinhos. “Oferecer só um pouco de cada doce dá a impressão de ter pouco”, explica a doceira Simone Amaral. Em média, as doceiras recomendam de 6 a 8 tipos de doces diferentes, mas se a quantidade de convidados for grande, dá para chegar a 12 tipos. Na conta total, são 5 a 6 unidades de doce por convidado.

Maria Cecilia Nogueira, gerente de vendas da Pati Piva Doces, avisa que a nova geração é louca por chocolate. “É o que acaba primeiro, por isso é importante ter bastante variedade”, avisa a especialista. Mas também é importante equilibrar sabores e atender a gostos variados. A cerimonialista Alexandra Loureiro recomenda os sempre infalíveis chocolate, nozes e pistaches, além de doces de frutas. Já Lawton Benatti, da D´Paula Doces, lembra do coco, que é bem aceito pela maioria, além das frutas cítricas e castanhas. No calor, a dica é esquecer os doces caramelados e pegar leve no chocolate, que derrete com facilidade.

Temáticos

Se “comer com os olhos” faz parte da regra, é possível adaptar o formato dos doces à decoração ou tema do casamento. “Casamentos no litoral podem ter doces em forma de conchinhas. Festas mais rústicas, em sítios ou fazendas, pedem o conhecido doce de abóbora com coco”, conta Benatti. Ele já preparou também encomendas para casamentos típicos do Brasil, cujas receitas contavam com açaí, cupuaçu e granola. Já o cerimonialista Roberto Cohen sugere se lembrar dos doces que tenham a ver com a origem do cliente. Se o noivo ou a noiva for árabe, doces sírios devem compor a mesa. Se algum deles for de origem portuguesa, barrigas de freira e pasteis de Santa Clara devem estar lá.

Há ainda quem faça encomenda de doces diet, liet, sem glúten ou sem açúcar, por conta de alguma restrição alimentar na família. A doceira Nininha Sigrist está acostumada a esses pedidos. “Temos uma linha diet com seis docinhos, entre eles os que fazem maior sucesso são a trufa de chocolate com farofa de pistache e o bombom de nozes pecan com doce de leite”.

Objetos de decoração

Além dos doces modernos já terem seu brilho próprio, em formatos inusitados, como pirâmides e flores, as forminhas e bandejas são o toque especial. Se a decoração do casamento já for carregada, recomenda-se tons claros nas forminhas. Mas se a decoração for mais simples, há espaço para valorizar os doces, com cores mais fortes. A recomendação é de Maria Cecilia Nogueira, que sugere opções em papel e tecido.

Há desde doces que vêm condicionados em caixinhas de papel até flores de cetim feitas artesanalmente, como nos doces feitos por Simone Amaral. “As forminhas valorizam muito os doces que são colocados em forma de pirâmides, em sousplats de prata, cristal, porcelana ou vidro, dependendo da cenografia do evento”, explica. Já Fabiola Toschi usa também bandejas de porcelanas brancas, madeiras e até vime. “As forminhas ajudam a incrementar a decoração e dão um charme especial para a mesa de doces. Mas existem casamentos em que os doces são colocados diretamente em bandejas de vidro, sem forminhas”, explica. Difícil é dispensar a beleza dos acessórios que acomodam os docinhos – basta ver na galeria acima.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.