Mulheres que estão em dúvida sobre se casar ou não devem confiar em seus instintos, segundo nova pesquisa

NYT

Dúvidas sobre o casamento estão relacionadas a uma maior taxa de divórcio, segundo estudo
Getty Images
Dúvidas sobre o casamento estão relacionadas a uma maior taxa de divórcio, segundo estudo

Psicólogos da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, descobriram que a hesitação das mulheres diante do casamento indica maior possibilidade de divórcio e insatisfação conjugal nos anos seguintes.

“As pessoas acham que todo mundo tem dúvidas antes do casamento e isso não deve ser fonte de preocupação. Nós descobrimos que elas são comuns, mas não são benignas", declarou o autor do estudo e doutorando em psicologia Justin Lavner em um comunicado de imprensa da universidade. “Você conhece a si mesmo, seu parceiro e seu relacionamento melhor do que ninguém. Se você está se sentindo nervoso com isso, preste atenção às suas angústias. Vale a pena tentar entender o que está te fazendo se sentir assim.”

Para o estudo, publicado no Journal of Family Psychology, os psicólogos entrevistaram cerca de 250 casais que tinham alguns meses de casados. Os maridos tinham, em média, 27 anos quando se casaram. Já a idade média das esposas foi de 25. Após o primeiro contato dos pesquisadores com os casais, novas entrevistas foram feitas a cada seis meses por quatro anos.

Em sua primeira entrevista, 47% dos maridos e 38% das mulheres admitiram ter dúvidas sobre se casar. Os pesquisadores observaram, no entanto, que os maus pressentimentos das noivas se mostraram mais eficientes para prever problemas no casamento no futuro.

O estudo revelou que 19% das mulheres que disseram ter dúvidas sobre o casamento acabaram se divorciando quatro anos depois. Entre as que não tinham dúvidas, o índice de divórcios foi de 8%.

Enquanto isso, 14% dos maridos que relataram dúvidas se divorciaram após quatro anos, em comparação com 9% dos que disseram que não tinham preocupações sobre se casar.

Os pesquisadores observaram que ter dúvidas sobre o futuro do casal demonstrava ser um sinal importante de discórdia conjugal, independentemente de outros fatores, tais como se o casal viveu junto antes de se casar, o quão difícil foi o relacionamento ou se eles vieram de famílias divorciadas.

O estudo revelou que 36% dos casais não tinham dúvidas sobre o casamento no início. Desses casais, 6% pediu o divórcio em um período de quatro anos. Nos casamentos em que só o marido tinha dúvidas, 10% dos casais acabaram se separando. Quando apenas a esposa tinha dúvidas, a taxa de divórcio subiu para 18%. Dúvidas de ambas as partes estavam ligadas a uma taxa de divórcio de 20%.

Entre os casais com quatro anos de casamento, maridos e esposas com dúvidas eram significativamente menos satisfeitos com o casamento do que aqueles sem dúvidas. Quando as mulheres têm maus pressentimentos antes de seu casamento, eles não devem ser ignorados", diz pesquisador.

“Esposas recém-casadas que não sabiam se o casamento era o passo correto a ser dado tinham duas vezes e meia mais chance de se divorciar quatro anos mais tarde do que as mulheres sem estas dúvidas”, disse Lavner. “Entre os casais com quatro anos de casamento, maridos e esposas com dúvidas eram significativamente menos satisfeitos com o casamento do que aqueles sem dúvidas. O que isto nos diz é que, quando as mulheres têm maus pressentimentos antes de seu casamento, eles não devem ser ignorados.”

Não acredite que o amor é suficiente para acabar com suas preocupações, acrescentou Lavner. “Não há nenhuma evidência de que os problemas em um casamento irão desaparecer por si só e tudo ficará melhor. Pelo contrário, os problemas tendem a piorar com o tempo”, disse ele.

Os autores do estudo afirmam que os casais que tiverem dúvidas antes do casamento devem falar sobre suas preocupações e tentar trabalhá-las antes de caminhar até o altar.

Leia também

- Guia do Casamento: ideias, dicas e soluções para planejar o grande dia

- O vestido ideal para seu tipo de corpo

- Calculadora do casamento: quanto separar para cada item

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.