Veja o depoimento de mulheres que sofreram com a fofoca no ambiente de trabalho

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=ModeloiG%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237491691438&_c_=MiGComponente_C

Eu tinha 20 anos e estava em meu primeiro emprego na área. Fazia publicidade e finalmente havia conseguido uma vaga em uma agência. Após uns dois meses, comecei a receber e-mails de um admirador secreto. Os textos eram incríveis, bem escritos e se encaixavam em um enredo de qualquer comédia romântica que a gente vê no cinema. Algumas semanas passaram e a curiosidade aumentava. Um dia descobri que o tal admirador era meu chefe. Nos envolvemos e, não demorou muito, fui tachada de aproveitadora e as pessoas do escritório mal olhavam na minha cara.

O relato é de Érica Castro, 29 anos. A história de uma estagiária que namorou o chefe mais velho (neste caso, 16 anos de diferença) é bastante comum e nenhuma mulher está imune da possibilidade de se envolver com alguém do trabalho.

Um caminho sem volta

Caso você tenha se identificado com a história, se prepare para a reação de seus colegas, pois o falatório é quase inevitável. Enquanto sua relação for novidade, todos vão comentar. Mas se você não se fizer de vítima e tratar do assunto com naturalidade, logo as pessoas esquecem, explica a psicóloga Rita de Cássia.

Mulheres mais maduras provavelmente vão conseguir lidar melhor com o assunto. Eu namoro uma pessoa que trabalha comigo sim e sigo em frente. Somos discretos e sempre que alguém desconfia e faz perguntas, eu digo que estamos juntos e ponto final. Somos solteiros e não traímos ninguém, além do mais, eu pago minhas contas, diz a bancária Cláudia Peçanha, 32 anos.

Para a psicóloga, o envolvimento com o chefe pode trazer alguma saia justa, ainda mais se ele for casado. Neste caso, é quase impossível evitar as fofocas negativas e depreciativas. E a maioria de minhas pacientes que tem envolvimento no trabalho com um colega casado quase sempre são alvo de fofocas e acabam optando por mudar de emprego, pois não têm estrutura para lidar com a situação.

Fez a fama, agora deita na cama

É claro, existem também casos em que o falatório é infundado. Caso você seja bonita, tenha subido de cargo rapidamente, tenha uma relação amigável com o chefe ou ele apenas vai com sua cara, todas essas alternativas servem de justificativa para uma promoção e sua competência sempre será colocada em prova.

A dica da psicóloga é manter uma postura discreta. Não fale de sua vida pessoal para subordinados, aprenda a separar assuntos de trabalho e não fique fazendo relatório de sua rotina fora do escritório. A maioria das pessoas confunde amizade com coleguismo e, se um dia você não quiser contar algo de sua intimidade, provavelmente vão achar que você é uma mentirosa.

Leia mais sobre: fofoca

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.